500 golfinhos capturados em caçada anual no Japão (com videos)

500 golfinhos capturados em caçada anual no Japão (com video)
A caça anual de golfinhos em Taiji, no Japão, em que os pescadores reunem centenas de golfinhos para abate, terminou hoje (21 de janeiro). 

Cerca de 500 golfinhos foram presos na caçada deste ano, relata a CNN.

"Mais do que nunca os golfinhos numa única captura estão encurralados e esperando a morte depois de verem cerca de 50 dos seus filhos sendo levados para aquários de todo o mundo (onde a maioria vai morrer em breve)", disse o biólogo marinho Lori Marino, da Universidade Emory.

A caça ao golfinhos, que começou sábado, é uma tradição anual na comunidade de Taiji, e continua apesar dos protestos internacionais feitos pelos conservacionistas animais. A caçada ganhou ampla atenção com o lançamento do documentado premiado com o Oscar de 2009, "The Cove", que mostrava cenas de água a ficar vermelha do sangue dos golfinhos.


Os conservacionistas consideram o evento uma violação do bem-estar animal, especialmente para os animais que são inteligentes e socialmente complexos. A organização sem fins lucrativos Sea Shepherd Conservation Society filmou neste ano os golfinhos a tentar escapar dos seus captores humanos, e muitos ativistas foram twittando sobre o evento. 

Caroline Kennedy, embaixadora dos EUA no Japão, twittou: "Profundamente preocupada com a inumanidade da matança de golfinhos por caça". Mas as autoridades japonesas têm defendido a prática, dizendo que os pescadores estão a exercer os seus direitos legais. 



Um representante do sindicato dos pescadores de Taiji disse à CNN que os pescadores tinham começado a usar um método "mais humano" de matar os golfinhos, cortando os seus espinhos para acabar com a vida dos animais mais rapidamente. 

Os golfinhos ou são massacrados pela sua carne, que podem conter níveis elevados de mercúrio ou outras toxinas, ou vendidos a aquários, de acordo com o site ajc.com. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário