Novo veículo da Hyundai alimentado a excrementos

Novo veículo da Hyundai alimentado a excrementos
O poder dos excrementos está pronto para chegar às ruas. A Hyundai anunciou recentemente planos para começar a locação de um veículo novo na Primavera deste ano, cujo combustível no tanque virá de esgoto processado.

No outono passado, Elon Musk, da Tesla considerava a tecnologia de célula de combustível de hidrogênio para veículos uma "asneirada". Afirmando que se trata de um gás perigoso mais adequado para foguetes do que para carros.

De facto, tal ideia é quase literalmente verdade. No entanto, daqui a algumas semanas a Hyundai começará a locação de um novo Tucson crossover que funcionará com gás hidrogénio derivado de excrementos.

O complexo processo para converter resíduos de vasos sanitários e pias no sul da Califórnia em hidrogénio vem de cientistas do UC Irvine Research Center. Essencialmente, os sólidos são separados a partir de água e alimentados por micróbios que transformam em metano e CO2.

Algum metano é filtrado e canalizado para um dispositivo especial, e, em seguida, voilà: gás hidrogénio. Esse hidrogénio irá em seguida diretamente para uma bomba pública para o reabastecimento de veículos.

A Hyundai diz que a locação de três anos do Tucson - cerca de 3.000 dólares inicialmente e, em seguida, cerca de 500 dólares por mês - incluem manutenção e reabastecimento ilimitado de hidrogénio numa dúzia de bombas ao redor da Califórnia.

O seu tanque leva cerca de três minutos a encher e é faz cerca de 300 milhas. A Hyundai tem vindo a destacar as vantagens do Tucson, nomeadamente o facto de ele poder atingir uma gama melhor e mais rápida do que os veículos que reabastecem a eletricidade.

90.000 pessoas já manifestaram interesse na locação do veículo. Não é surpreendente, dadas as emissões zero, a grande variedade e abastecimento rápido do gás derivado de água do banheiro. Ao mesmo tempo, não se podem ignorar os riscos da tecnologia. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário