Descoberta sugere que o nosso universo é parte de um Multiverso

Descoberta sugere que o nosso universo é parte de um Multiverso
A primeira evidência direta da inflação cósmica – um período de rápida expansão que ocorreu uma fração de segundo após o Big Bang – também apoia a ideia de que o nosso universo é apenas um entre muitos, de acordo com alguns pesquisadores.

Na passada segunda-feira (17 de março), os cientistas anunciaram novas descobertas que marcam a primeira evidência direta de ondas gravitacionais primordiais – ondulações no espaço-tempo criadas depois do universo surgir.

Se os resultados forem confirmados, fornecem uma boa evidência de que o espaço-tempo se expandiu em muitas vezes a velocidade da luz logo após o Big Bang, há 13,8 bilhões anos atrás. [Descoberta maior prova do Big Bang até agora]

A nova pesquisa também dá credibilidade à ideia de um Multiverso. Esta teoria postula que, quando o Universo cresceu exponencialmente na primeira pequena fração de segundo após o Big Bang, algumas partes do espaço-tempo expandiram-se mais rapidamente do que outras.


Isto poderia ter criado “bolhas” do espaço-tempo que então desenvolveram outros universos. O universo conhecido tem as suas próprias leis da física, enquanto outros universos poderiam ter leis diferentes, de acordo com o conceito do Multiverso. [O que está para além da borda do universo observável?]

“É difícil construir modelos da inflação que não levam a um Multiverso”, disse Alan Guth, físico teórico do Instituto de Tecnologia de Massachussets  (MIT) durante uma conferência de imprensa na segunda-feira.

“Não é impossível, mas ainda há certamente pesquisas que precisam de ser feitas. Mas a maioria dos modelos de inflação leva a um Multiverso, e as evidências para a inflação estão a forçar-nos a aceitar a ideia de que o nosso universo é apenas um numa infinidade.”

Outros pesquisadores concordaram sobre a relação entre a inflação e o Multiverso. “Na maioria dos modelos de inflação, se a inflação estiver lá, então o Multiverso também estará”, disse o físico teórico Andrei Linde, da Universidade de Stanford, que não esteve envolvido no novo estudo.

“É possível inventar modelos de inflação que não permitem o Multiverso, mas é difícil. Toda experiência que traz melhor credibilidade à teoria inflacionária leva-nos muito mais perto de indícios de que o Multiverso é real", acrescentou.

Quando Guth e seus colegas pensaram na inflação cósmica há mais de 30 anos, os cientistas pensavam que era testável. Hoje, no entanto, os pesquisadores são capazes de estudar a luz que sobrou do Big Bang, a chamada radiação cósmica de fundo.

No novo estudo, a equipa liderada por John Kovac, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica encontraram sinais indicadores de inflação na radiação microondas de fundo. 

Os pesquisadores descobriram uma onda distinta do padrão de polarização da radiação cósmica de fundo, um sinal de ondas gravitacionais criadas pela rápida expansão do espaço-tempo logo após o Big Bang.

Linde, um dos principais contribuintes para a teoria da inflação, diz que se o universo conhecido é apenas uma bolha, deve haver muitas outras bolhas no tecido cósmico. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Desculpe, mas os multiversos não surgiram com o Big Bang... Toda hora surgiu, surgi e surgirá um novo universo... é uma infinidade de universo numa infinidade de espaço... Existe universos mais velhos, outros mais jovens... Alguns desaparecem... e aparecem outros... acontecem infinitos Big Bangs, toda hora...

    ResponderEliminar
  2. Fernando Antonio de B Lins08/07/14, 01:06

    A Teoria do Multiverso é muito interessante, pois decorre de uma pesquisa séria que torna evidente a possibilidade de existirem muitos universos superpostos, ou seja, nem mesmo no universo que pensamos conhecer não existe um limite definido - mas sim, universos que existem e se inflacionam conforme a movimentação dos mesmos. O importante é clarear cada vez mais as nossas percepções e não deixar que haja interferência de terceiros que possam tentar cercear as possíveis argumentações. Outrora a Religião atacava frontalmente a ciência, o que fez com que possíveis descobertas somente fosse enveredadas ao meio societário após centenas de anos; ainda hoje a religião, vez ou outra tenta remodelar alguns conceitos científicos em prol de argumentações dogmáticas, o que considero um absurdo, pois a ciência quando nos parâmetros de pesquisas sérias devem ser totalmente respeitadas.

    ResponderEliminar