Ondas gravitacionais: A inflação do Big Bang

Ondas gravitacionais: A inflação do Big Bang
A recente descoberta de ondas gravitacionais comprova uma antiga teoria do Big Bang, nomeadamente a sua inflação. Mas o que são claramente ondas gravitacionais?

Albert Einstein previu, na sua teoria da relatividade geral em 1916, que um objeto de grande massa como a Terra distorce o espaço-tempo ao seu redor como uma bola de boliche lançada sobre um trampolim.

Quanto maior o objeto, mais o espaço-tempo é distorcido por ele. Se uma bola de gude estiver circulando em torno da bola de boliche no trampolim de covinhas, ela iria cair para dentro, em direção à bola de boliche, como uma rocha no espaço que circunda um planeta.

As ondas gravitacionais são ondulações no espaço-tempo que viajam para o exterior a partir de uma fonte. Os cientistas pensam que poderosas ondas gravitacionais são criados quando dois objetos extremamente densos - como um par de estrelas de neutrões - orbitam em pares binários.

A interação desses dois objetos alteram o espaço-tempo, criando ondulações que, teoricamente, podem ser medidas através de instrumentação poderosa. [Descoberta maior prova do Big Bang até agora]

A evidência direta

Agora, o Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica descobriu um sinal fraco na radiação cósmica de fundo, que significa a primeira evidência direta de ondas gravitacionais já descobertas. As ondas gravitacionais foram a última parte não testada da teoria geral da relatividade de Einstein.

O estudo de Harvard-Smithsonian viu ondas gravitacionais como ondulações no espaço-tempo como sendo possíveis vestígios da rápida expansão do universo (chamado inflação), logo após o Big Bang, há cerca de 13,8 bilhões de anos atrás.

Os cientistas que trabalham no estudo descobriram um padrão distinto de ondas na radiação cósmica de fundo - o nevoeiro que enche o universo e representa a radiação detectada mais antiga - que suporta ainda mais a ideia de que o universo passou por um grande período de inflação uma fração de segundo após o Big bang.

"Este trabalho oferece novos insights sobre algumas de nossas perguntas mais básicas: Porque existimos? Como o universo começou?", pergunta o astrofísico Avi Loeb, que não era um membro da equipe do estudo. "Esses resultados não são apenas a comprovação da inflação, eles também nos dizem quando a inflação ocorreu e quão poderoso o processo foi ".

Inflação cósmica

A radiação cósmica de fundo passou surgiu cerca de 380.000 anos após o Big Bang. Os cientistas mapearam a radiação através do céu e descobriram que ela tem uma temperatura uniforme, a evidência que reforça a teoria da inflação cósmica.

Experiências como Advanced LIGO (Laser Interferometer Gravitational Wave Observatory) e Advanced Virgo, poderia detectar as ondulações binárias criadas no espaço-tempo, embora não tenham encontrado ainda uma assinatura clara.

As ondas gravitacionais são diferentes das ondas de gravidade, que são ondulações criadas nas atmosferas dos planetas pelas interações das chicotadas dos ventos sobre as características geológicas na superfície do planeta. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário