Realidade virtual alivia dor fantasma de amputados (com video)

Realidade virtual alivia dor fantasma de amputados (com video)

Amputados que sofrem de dor fantasma de membros podem obter algum alívio graças a um potencial novo tratamento experimental que envolve realidade virtual. [Nova teoria explica porque amputados sentem dor fantasma]


Um homem que sofria de dor fantasma grave há 48 anos, após o seu braço ser amputado, relatou uma redução drástica na sua dor após o tratamento experimental, através da utilização da realidade virtual.

Segundo o estudo de caso detalhado a 25 de fevereiro na revista Frontiers in Neuroscience, a terapia é promissora, mas terá de ser testada em ensaios clínicos controlados com mais pacientes para provar a sua eficácia, dizem os cientistas. 

Depois de as pessoas perderem um braço ou uma perna, muitas vezes experimentam sensações dolorosas de seu membro perdido, conhecida como dor fantasma. [Mesmo não-amputados podem sentir um membro fantasma]


Mais que 70 por cento dos amputados experimentam dor fantasma, que pode ser crónica e debilitante. As causas da dor são desconhecidas, mas podem resultar de representação cerebral restante do membro perdido. [Conheça as 7 condições mais dolorosas]

Os tratamentos atuais para a dor fantasma incluem fármacos, acupuntura, hipnose e terapia de espelho, que envolve a colocação do membro intacto dentro de uma caixa com dois espelhos posicionados de modo que o membro normal apareça onde o membro amputado devia estar.

O reflexo nos espelhos engana o cérebro para pensar que o membro refletido é o ausente. A terapia do espelho tem mostrado alguma eficácia em pequenos estudos, mas permanece controversa.

Controlar um braço virtual


No novo estudo, os pesquisadores desenvolveram uma terapia que envolve a realidade aumentada, e testaram-na no homem, cuja dor fantasma não tinha respondido a outros tratamentos. [O que é a realidade aumentada?]

Eletrodos registaram sinais musculares do tronco do braço do paciente, e utilizaram software para converter esses sinais em movimento de um braço virtual, sobreposto a um vídeo do paciente obtido com uma webcam.

Ao pensar sobre a movimentação do seu braço amputado, o paciente foi capaz de controlar o braço virtual, usando-o para realizar tarefas como dirigir um carro num jogo de corrida. O paciente relatou que sua dor reduziu gradualmente, e experimentou períodos livres de dor ao longo de seus tratamentos de realidade virtual.

Ele disse que a sua mão mudou de estar dolorosamente cerrada ao sentimento aberta e relaxada. Em contraste com a terapia do espelho ou sistemas de realidade virtual, que são controladas pelo membro intacto, o novo sistema utiliza os sinais do próprio membro danificado, por isso também pode ser usado por amputados bilaterais, disseram os pesquisadores.

Um dos maiores problemas com a reabilitação tradicional é que os pacientes não completam a sua terapia, disseram os cientistas. A nova terapia de realidade virtual parece também ser mais divertida e envolvente, acrescentaram.

Estudos clínicos necessários


O uso de atividade muscular residual para controlar um braço virtual não é completamente novo, afirma Tamar Makin, neurocientista da Universidade de Oxford, na Inglaterra, que estuda a dor fantasma, mas não esteve envolvido no estudo.

Os pesquisadores também usaram sinais musculares de um toco para controlar próteses. Makin elogiou o trabalho, mas disse que era difícil tirar conclusões sobre a eficácia do tratamento, até que um estudo controlado com mais pacientes possa ser feito.

Os pesquisadores da Universidade de Chalmers planeiam executar tal estudo, em colaboração com o Hospital da Universidade de Sahlgrenska, da Universidade de Gotemburgo e da empresa de tecnologia médica Integrum.

Enquanto isso, os investigadores desenvolveram uma versão do sistema que pode ser utilizado em casa, assim que for aprovada. Os pacientes que têm restringido a mobilidade por causa de um acidente vascular cerebral ou lesão medular também podem beneficiar da terapia, disseram os pesquisadores. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário