Teste de sangue prevê risco de suicídio, sugere estudo

Teste de sangue prevê risco de suicídio, sugere estudo
Um novo gene ligado ao risco de suicídio foi descoberto, e os pesquisadores dizem que a descoberta pode levar a um exame de sangue que prevê o risco de uma pessoa tentar suicídio. [5 mitos sobre o suicídio]

No estudo, os pesquisadores analisaram os genes de amostras de tecido do cérebro de pessoas que haviam morrido por suicídio, e compararam esses genes com os de pessoas que morreram de outras causas.

Os cientistas descobriram que uma mutação genética, num gene chamado SKA2, era mais comum entre as pessoas que morreram por suicídio. [Porque as pessoas tentam o suicídio]

Os pesquisadores também descobriram uma alteração química, chamada de mudança epigenética, no mesmo gene, que era mais comum entre as pessoas que cometeram suicídio do que naqueles que morreram de outras causas.

"Nós encontramos um gene que nós pensamos que poderia ser realmente importante para consistentemente identificar uma gama de comportamentos que têm a ver com o suicídio", disse o pesquisador Zachary Kaminsky, da Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

Em seguida, os pesquisadores examinaram se estas alterações genéticas poderiam prever o risco de uma pessoa ter pensamentos suicidas ou tentarem o suicídio. Usando amostras de sangue de 325 pessoas, os cientistas criaram um modelo para investigar isso.

O modelo levou em conta se uma pessoa tinha a mutação genética SKA2 e a mudança epigenética, bem como a idade da pessoa, o género e os níveis de stress e ansiedade. Os pesquisadores testaram este modelo em 22 pessoas com idades entre 15 e 24, e cerca de 50 mulheres grávidas.

Os participantes deram amostras de sangue e foram questionados para ver se tinham experimentado pensamentos suicidas ou tinham feito tentativas de suicídio. O modelo identificou corretamente 80 a 96% das pessoas que tiveram pensamentos suicidas ou tentaram suicídio.

Foi mais precisa entre as pessoas em situação de risco grave para suicídio. Os pesquisadores suspeitam que as alterações genéticas em SKA2 possam estar envolvidas em desligar a resposta do corpo ao stress. [Teste de sangue pode prever o risco de suicídio]

Kaminsky comparou as mudanças genéticas aos freios defeituosos num carro: Sem stress é como ter um carro estacionado com freios ruins, mas uma vez que o stress ocorre, os trabalho dos freios torna-se importante, podendo o carro ficar fora de controle.

Como o estudo foi pequeno, os resultados são preliminares e mais estudos são necessários para confirmar os resultados, afirmam os pesquisadores. Se os resultados forem confirmados, um exame de sangue pode ser feito para avaliar o risco de suicídio.

Dessa forma, tal teste pode ser utilizado para rastrear pessoas em salas de emergência psiquiátrica, ou para determinar quão perto uma pessoa precisa ser monitorada relativamente ao risco de suicídio, dizem os pesquisadores.

O estudo foi publicado on-line a 29 de julho no American Journal of Psychiatry. No ano passado, um outro grupo de pesquisadores descobriu que certos marcadores no sangue estavam ligados a pensamentos suicidas em pessoas com transtorno bipolar. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário