5 coisas que você deve saber sobre o cancro da próstata

5 coisas que você deve saber sobre o cancro da próstata
O cancro da próstata afeta milhões de pessoas em todo o mundo.

Em função da sua importância, conheça aqui estão curiosidades que você deve saber sobre o cancro da próstata.

Doença da velhice


O cancro da próstata é o mais comum entre os homens com mais de 65 anos de idade, e raramente é encontrado em homens com menos de 40 anos de idade. É o segundo tipo de cancro mais comum em homens, depois do cancro de pele.

Autópsias revelam que 75 por cento dos homens com mais de 85 anos tinha cancro da próstata quando morreram, apesar de a doença não ser necessariamente letal. Muitos cancros da próstata são de crescimento lento e não afetam a saúde ou a vida de um homem.

Rastreio é controverso


Os médicos podem detectar o cancro da próstata utilizando o antígeno prostático específico (PSA), um exame de sangue, mas o seu uso em homens saudáveis​​, sem sintomas permanece controverso. Algumas pesquisas afirmam que para homens com idades entre 50 a 69, o benefício do rastreio é pequeno para nenhum. 

Estudos sobre o tema também têm resultados conflitantes. Um estudo recente com 76.000 homens com idades entre 55 e 74, nos Estados Unidos, descobriu que os homens que foram submetidos anualmente a triagem para cancro de próstata tinham a mesma probabilidade de morrer da doença do que aqueles que foram submetidos a triagem somente se o médico recomendasse.

Por outro lado, um estudo europeu publicado no mês passado descobriu que o rastreio do cancro da próstata não salva vidas, mas pode ter de ser realizado por mais de 10 anos para se ter benefício.

Diagnóstico em excesso é um problema


Uma grande preocupação com o teste PSA é que ele descobre cancros que nunca teriam sido diagnosticados de outra forma, ou seja, tipos de cancro que não iriam causar problemas de saúde significativos para os pacientes.

No estudo europeu recente, cerca de metade dos casos de cancro detectados por testes de PSA caíram nesta categoria. Tal diagnóstico exagerado é um problema, porque os homens podem receber testes e tratamento de que não precisam.

Os efeitos colaterais do tratamento relativamente ao cancro da próstata podem incluir disfunção eréctil e perda de controle urinário.

Monitoramento em vez de tratamento


Actualmente, cerca de 10 por cento dos homens diagnosticados com cancro da próstata adiam o tratamento, enquanto os restantes 90 por cento recebem tratamentos, tais como cirurgia ou terapia de radiação.

No entanto, cerca de 40 por cento dos homens diagnosticados anualmente, pode atrasar o tratamento com uma estratégia chamada vigilância ativa. Sob a vigilância ativa, pacientes com cancro da próstata de baixo risco recebem regularmente testes de follow-up.

Esses pacientes são apenas tratados se o cancro se tornar mais agressivo. A este propósito, muitos especialistas acreditam que a vigilância ativa é uma boa maneira, ou até a melhor maneira, de reduzir os danos da triagem. 

Reduzir riscos


Uma maneira de reduzir o risco de cancro da próstata é através da dieta. Estudos mostram que os vegetarianos têm um menor risco de cancro da próstata do que os homens que comem carne, sugere o National Institutes of Health dos EUA.

Um nutriente chamado licopeno, encontrado no tomate, tem sido consistentemente associado a um menor risco de cancro da próstata, de acordo com a Clínica Mayo. As evidências também sugerem que a vitamina D pode reduzir o risco de desenvolver uma forma mortal de cancro da próstata.

Exercício para manter um peso saudável também pode reduzir o risco, diz a Clínica Mayo. De igual forma, tem sido demonstrado que a obesidade é especialmente importante no aumento do risco de cancro da próstata agressivo. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário