Cientistas criam ratos transparentes

Cientistas criam ratos transparentes
Um rato peludo foi transformado numa versão pálida, de aparência gosmenta e transparante podendo ver-se o seu interior.

Para fazer a proeza, os pesquisadores utilizaram uma nova técnica que eles dizem poder ser usada para entender melhor os processos no corpo.

A técnica - que pode revelar todos os órgãos de um animal, desde o seu cérebro até aos seus rins, mantendo-os intactos - pode conduzir a uma melhor compreensão de como o cérebro e corpo interagem.

De igual forma, poderá ser útil num melhor entendimento e na criação de novos modos para o tratamento de condições tais como a dor crónica e o autismo, sugere o estudo publicado a 31 de julho na revista Cell.

"Embora a ideia de transparência de tecidos exista há aproximadamente um século, este é o primeiro estudo a realizar a proeza em todo o organismo, ao contrário de extrair e, em seguida, estudar os órgãos fora do corpo", disse Viviana Grădinaru, neurocientista do Instituto de Tecnologia da Califórnia.

O método pode vir a dar aos cientistas uma visão mais clara de qualquer coisa que envolva pesquisa de todo o organismo, disse Grădinaru. Por exemplo, eles serão capazes de olhar para a forma como o sistema nervoso periférico e os órgãos pode influenciar a cognição, ou vice-versa.

Os pesquisadores já desenvolveram um método para tornar órgãos individuais transparente. Esta técnica envolve a colocação do tecido num gel à base de água para manter a sua estrutura e o uso de detergentes para lavar as moléculas de gordura que a luz não pode atravessar.

Mas este método tinha sido utilizado apenas para tornar cérebros transparentes e embriões. Agora, Grădinaru e a sua equipa adaptaram a técnica para usar no corpo inteiro do rato, acelerando o processo.

Eles encontraram um gel que lhes permitiu remover as moléculas de gordura rapidamente. Para evitar danificar o tecido do rato, os pesquisadores injetaram o gel e os detergentes diretamente na corrente sanguínea do roedor.

Dentro de dois a três dias após a mistura ser injetada, órgãos como os rins, coração, pulmões e intestino ficaram com um aspecto fantasma, e passadas duas semanas, o cérebro inteiro também ficou transparente.

Além disso, os pesquisadores também desenvolveram uma solução para armazenamento e imagiologia de grossos pedaços de tecido transparente usando um microscópio. Uma vez que o tecido é armazenado desta forma, os cientistas serão capazes de ver as conexões entre as células.

De igual forma, serão também capazes de ver as estruturas e moléculas dentro das células, afirmam os pesquisadores. Usando microscópios de alta tecnologia, os pesquisadores também fotografaram órgãos transparentes, revelando uma vista deslumbrante que parece mais arte que medicina. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário