Parece faltar alguma luz ao Universo

Parece faltar alguma luz ao Universo
Uma extraordinária quantidade de luz ultravioleta parece estar em falta no universo, descobriram os cientistas.

Uma fonte potencial desta luz em falta pode ser a misteriosa matéria escura que compõe a maior parte da massa do cosmos.

Mas uma explicação mais simples poderá ser a ideia de que a luz ultra-violeta escapa das galáxias mais facilmente do que se pensa, sugere a nova pesquisa.

Este quebra-cabeça começa com o hidrogénio, o elemento mais comum no universo, que representa cerca de 75 por cento da matéria conhecida. A luz ultravioleta de alta energia pode converter átomos de hidrogénio eletricamente neutros em iões eletricamente carregados.

As duas fontes conhecidas para tais raios ionizantes são estrelas jovens quentes e quasares, que são buracos negros supermassivos com mais de um milhão de vezes a massa do Sol e que libertam extraordinariamente grandes quantidades de luz enquanto rasgam estrelas e devoram matéria.

Os astrónomos já descobriram que os raios ionizantes de estrelas quentes jovens são quase sempre absorvidos pelo gás nas suas galáxias de origem. Como tal, eles quase nunca escapam para afetar o hidrogénio intergaláctico.

No entanto, quando os cientistas realizaram simulações em supercomputadores da quantidade de hidrogénio intergaláctico que deve existir e compararam os seus resultados com as observações do Telescópio Espacial Hubble, eles ficaram surpreendidos.

A quantidade de luz de quasares conhecidos é cinco vezes menor do que o necessário para explicar a quantidade de hidrogénio intergaláctico eletricamente neutro observado.

"É como se você estivesse num quarto grande, bem iluminado, mas você olha ao redor e vê apenas algumas lâmpadas de 40 watts", disse o principal autor do estudo, Juna Kollmeier, astrofísico teórico nos Observatórios da Instituição Carnegie de Washington.

Estranhamente, essa luz em falta só aparece no cosmos próximo, relativamente bem estudado. Quando os telescópios focam a luz de galáxias a bilhões de anos-luz de distância - e, portanto, a milhares de milhões de anos no passado - nenhum problema é visto.

Por outras palavras, a quantidade de luz ultravioleta no início do universo faz sentido, mas a quantidade de luz ultravioleta no universo próximo não.

A possibilidade mais emocionante que estes resultados levantam é a de que os fotões que faltam sejam provenientes de uma nova fonte exótica, sem serem galáxias ou quasares. Por exemplo, a matéria escura, pode ser capaz de decair e gerar essa luz extra.

No entanto, pode ainda haver uma explicação mais simples para essa luz em falta. Os astrônomos podem estar a subestimar a fração de luz ultravioleta que escapa de galáxias no universo próximo. Os cientistas detalharam as descobertas a 10 de julho no Astrophysical Journal Letters. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário