Exercício pode reforçar o cérebro em idosos

Exercício pode reforçar o cérebro em idosos

Pessoas que são fisicamente ativas na velhice podem melhorar a sua saúde do cérebro, impedindo a diminuição da matéria branca do cérebro, sugere um novo estudo.


A substância branca é composta por partes de células fibrosas do cérebro que permitem a comunicação entre regiões cerebrais.

"Esperamos que isso irá incentivar as pessoas a cuidar melhor dos seus cérebros ao serem mais ativas", disse o co-autor Agnieszka Burzynska, um pesquisador da Universidade de Illinois.

Saiba mais: Tecnologias que melhoram a saúde e segurança dos idosos

No estudo, 88 pessoas entre as idades de 60 e 78 anos, que tinham baixa aptidão cardiovascular, mas que eram saudáveis usaram acelerômetros por uma semana para acompanhar a sua atividade física diária, bem como a quantidade de tempo que passaram sentados.

Os adultos mais velhos devem fazer pelo menos 150 minutos de exercício moderado (ou 75 minutos de exercícios vigorosos) por semana. Os pesquisadores examinaram os escaneamentos do cérebro dos participantes para ver como a substância branca estava.

Os resultados mostraram que quanto mais pessoas estavam envolvidas no exercício moderado ou vigoroso, menos lesões da substância branca apresentavam. As descobertas podem explicar por que os pesquisadores descobriram ligações entre o exercício e uma melhor função cognitiva entre pessoas de idades mais avançadas em estudos anteriores.

Saiba mais: Jogos de estimulação cognitiva melhoram memória de idosos

Os novos resultados sugerem que o aumento da atividade física e o evitar de uma vida sedentária pode ser benéfico para a saúde do cérebro, disseram os pesquisadores. Os pesquisadores também descobriram que atividades físicas leves, como trabalho doméstico e jardinagem, estão relacionados à forma como a substância branca fica em algumas partes do cérebro.

Quanto mais as pessoas se envolvem em atividades físicas leves, mais estruturalmente sólida a sua substância branca é no lobo temporal, uma parte do cérebro envolvida na memória e linguagem. Por outro lado, quanto mais tempo as pessoas passaram sentadas, menor solidez estrutural no trato de matéria branca que liga o hipocampo apresentaram.

De acordo com o estudo, que foi publicado a 17 de setembro na revista PLOS ONE, a ligação manteve-se mesmo quando os pesquisadores ajustaram os resultados para a idade, género e nível de condicionamento físico dos participantes.

Não é inteiramente conhecido como o exercício pode proteger o cérebro do desgaste do envelhecimento, mas é possível que a aptidão e a actividade física neutralizem alterações vasculares relacionadas com a idade que estão envolvidos no desenvolvimento de lesões da substância branca. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário