Risco de autismo pode ser revelado em choro de bebés

2

Bebés com autismo podem ter diferenças no choro que podem ser detectados tão cedo quanto seis meses de idade.
O tom do choro dos bebés pode fornecer pistas sobre se eles estão em risco de autismo, sugere um novo estudo.

Os pesquisadores gravaram o choro de 39 crianças de 6 meses de idade, das quais 21 estavam em risco para autismo porque tinham um irmão mais velho com a condição. Os outros eram bebés saudáveis, sem histórico familiar de autismo.

Uma análise assistida por computador mostrou que o choro de bebés em situação de risco elevado para o autismo eram maiores e mais elevados e agudos do que os bebés que não corriam risco de autismo, disseram os pesquisadores. Este resultado só foi verdadeiro quando o choro foi causado pela dor, como quando um bebê caiu e bateu com a cabeça, disse o pesquisador Stephen Sheinkopf, da Alpert Medical School.

Mas as diferenças de choro dos bebés autistas "provavelmente não poderia ser detectado pela maioria das pessoas que utilizam somente os seus ouvidos, e isso não é algo que os pais devem ouvir", disse Sheinkopf. No momento em que as crianças do estudo fizeram 3 anos de idade, três delas foram diagnosticados com autismo. Enquanto bebés, estas três crianças tinham choro que estava entre os mais altos e agudos, disseram os pesquisadores. Eles também tinham choro que soava mais tenso.

As descobertas sugerem que o choro dos bebês de 6 meses pode ser usado, juntamente com outros fatores, para determinar o risco de um bebé ter autismo, disseram os pesquisadores. Se confirmada em estudos futuros, esta descoberta pode permitir aos pesquisadores identificar crianças com risco de autismo muito antes dos problemas de comportamento típicos se tornarem aparentes. Estudos anteriores haviam sugerido que com um ano de idade, as crianças com autismo fazem sons e gritos que não são típicos, mas ninguém tinha olhado para crianças a partir dos seis meses.

No entanto, porque o estudo foi pequeno, mais estudos são necessários para confirmar os resultados. As novas descobertas, publicadas na edição de outubro da revista Autism Research, concordam com os de pesquisas anteriores sugerindo que o choro dos bebés está relacionados com o desenvolvimento do cérebro. 


Siga-nos no facebook e no twitter


Temas

Enviar um comentário

2Comentários
  1. Tenho uma filha autista de 4 anos, e realmente o choro dela desde bebê bem agudo....costumo dizer que minha filha não chora ela berra.

    ResponderEliminar
  2. Interessante. Conheço uma bebê que desde o nascimento sempre chorou e gritou muito alto, agudo e em excesso. Sempre achei estranho o choro dela. Hoje ela possui 14 meses, não fala nenhuma palavra, não anda, é irritada e muito lerda. Os médicos do SUS dizem que é normal, que cada bebê tem seu tempo, mas é evidente que em relação aos demais bebês próximos (vizinhos, parentes) ela possui um atraso de desenvolvimento bem considerável.

    ResponderEliminar
Enviar um comentário