Tai Chi pode reduzir as quedas em sobreviventes de AVC


http://www.ciencia-online.net/2013/02/tai-chi-pode-reduzir-as-quedas-em.html
Uma antiga forma de movimento suave pode oferecer ajuda para uma preocupação moderna: Um novo estudo sugere que o Tai Chi pode reduzir o número de quedas em adultos que sobreviveram a um acidente vascular cerebral.

Os pesquisadores descobriram que os sobreviventes de AVC que aprenderam Tai Chi tiveram o menor número de quedas em comparação com pessoas que participaram de um programa de exercícios para idosos, como parte da sua recuperação do acidente vascular cerebral, ou pessoas que receberam tratamento habitual para ajudá-los a recuperar.

Para o estudo, os investigadores estudaram 89 sobreviventes de AVC, cuja idade média era de 70 anos. Um terço dos participantes receberam instrução em Tai Chi durante 12 semanas, outro grupo fez exercício focado na melhoria da força muscular e amplitude de movimento, e um terceiro grupo recebeu acompanhamento semanal via telefone, juntamente com informações escritas incentivando-os a serem fisicamente ativos.

Tanto as aulas de Tai Chi como o exercício focado eram efetuadas três vezes por semana, durante um treino de uma hora. Durante a experiência de três meses, um total de 34 quedas em casa foram relatadas pelos participantes do estudo, geralmente como resultado de tropeçar ou escorregar. Os pesquisadores descobriram que o grupo do Tai Chi teve o menor número de quedas. 

Entre os praticantes de Tai Chi, apenas ocorreram cinco quedas. Os resultados foram apresentados a 6 de fevereiro na Conferência Internacional da American Stroke Association, em Honolulu. Muitos sobreviventes de AVC têm problemas de equilíbrio, independentemente do local onde o derrame tenha ocorrido no cérebro, disse a autora do estudo Ruth Taylor-Piliae, professora assistente na Universidade do Arizona.

Há muitas razões para a perda do equilíbrio após um derrame, disse ela. "Uma pessoa pode ficar com problemas de visão, equilíbrio ou o ouvido interno pode não estar a funcionar corretamente, ou um indivíduo está a experimentar a fraqueza física num local específico do corpo", disse Taylor-Piliae.

Isso faz com que os sobreviventes de AVC sejam mais propensos a cair: Eles caem sete vezes mais do que os adultos saudáveis. O Tai Chi, com os seus lentos e suaves movimentos de todo o corpo, parece ser uma forma eficaz de ajudar as pessoas que sofreram um acidente vascular cerebral, a sentirem mais os seus pés e a recuperar a força muscular.

"O Tai Chi combina movimentos físicos com concentração mental e relaxamento", apontou Taylor-Piliae apontou. "Ele é frequentemente descrito como meditação em movimento". No Tai Chi, as pessoas aprendem a mudar o seu peso de uma perna para a outra enquanto movem os braços, mas ainda mantêm o equilíbrio. 

Além de melhorar o equilíbrio e fortalecimento muscular, o Tai Chi ensina as pessoas a estar atentas, que é um componente mental valioso. Embora este estudo tenha ensinado o estilo de Tai Chi chamado Yang aos participantes, que é um dos tipos mais populares, Taylor-Piliae pensa que qualquer forma da antiga prática chinesa tem beneficios em sobreviventes de um derrame.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Publicar um comentário