Núcleo da Terra é 1.000 graus mais quente do que o esperado


http://www.ciencia-online.net/2013/05/nucleo-da-terra-e-1000-graus-mais.html
O motor interno da Terra está em execução a cerca de 1.000 graus Celsius (cerca de 1800 graus centígrados) mais quente que o medido anteriormente, proporcionando uma melhor explicação para a forma como o planeta gera um campo magnético, descobriu um novo estudo.

Um grupo de cientistas mediu o ponto de fusão do ferro de alta precisão em laboratório, e em seguida extraiu resultados para calcular a temperatura no limite de núcleo interior e exterior da terra - agora estimado em 6.000ºC (cerca de 10.800 F). É tão quente quanto a superfície do sol.

A diferença de temperatura na matéria explica como a Terra gera o campo magnético. A terra tem um núcleo interior sólido rodeado por uma cápsula externa de líquido. É preciso haver uma diferença de 2700 graus F (1500ºC) entre o núcleo e o manto para estimular "movimentos térmicos" que - juntamente com a rotação da Terra - criam o campo magnético.

A temperatura do núcleo medido anteriormente não demonstrou um diferencial suficiente deixando os pesquisadores intrigados durante duas décadas. Os novos resultados estão detalhados na edição de 26 de abril da revista Science. A peça central da experiência foi uma nova técnica de raios-X que faz medições mais rápido do que antes. 

Amostras de ferro comprimidas no laboratório tipicamente duram apenas alguns segundos, o que torna difícil determinar em experiências anteriores, se o ferro é ainda um sólido, ou se se está a começar a derreter. A técnica faz uso de difração, que ocorre quando os raios-X, ou outras formas de luz, batem num obstáculo e curvam em torno dele. 

Cientistas enviaram rajadas de raios-X para a amostra e observaram a "assinatura" de aquecimento, que é um anel difuso, que identifica a temperatura. Estas experiências atreladas ao ponto de fusão do ferro em 4800ºC (cerca de 8.700 F) a uma pressão de 2,2 milhões de vezes da que se encontra na superfície da Terra ao nível do mar.

Extrapolando essa medição, os cientistas estimaram a fronteira entre o núcleo interno e externo da Terra nuns lancinantes 10.832 F, mais ou menos cerca de 930 graus C, a uma pressão de 3,3 milhões de atmosferas (ou 3,3 milhões de vezes a pressão atmosférica ao nível do mar).

As organizações participantes na experiência incluem a CEA (uma organização de pesquisa tecnológica nacional francesa), o Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica (CNRS) e o European Synchrotron Radiation Facility (ESRF).
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário