Como os sonhos se formam: Revelada raiz de imagens bizarras

Como os sonhos se formam: Revelada raiz de imagens bizarras


Mesmo as pessoas com uma doença cerebral rara que deixam as suas mentes incapazes de pensamento espontâneo e apático durante o dia têm sonhos durante a noite, descobriu uma nova pesquisa.

Mas o estudo, publicado a 11 de setembro na revista Brain, também mostrou que esses sonhos eram desprovidos dos elementos bizarros, emocionais e complexos, tão característicos dos sonhos normais.

"Ficamos extremamente surpresos ao observar alguns sonhos relatados por pessoas que perderam a faculdade de pensar, de ter pensamentos espontâneos", disse Isabelle Arnulf, co-autora da investigação e pesquisadora da Université Pierre et Marie Curie, em Paris.

Os resultados sugerem que o sonho se origina a partir de processos mentais desencadeados no tronco cerebral durante o estágio do sono de movimento rápido dos olhos (REM), mas as partes de pensamento de nível superior do cérebro podem adicionar complexidade e estranheza aos próprios devaneios noturnos.

Ninguém sabe exatamente por que as pessoas (e os animais) sonham. Alguns cientistas acreditam que os sonhos representam desejos secretos das pessoas, enquanto outros dizem que os sonhos ajudam a resolver problemas levantados durante o dia. 

Ainda outros acreditam que o sono REM, quando o sonho se realiza, ajuda a consolidar memórias, repor substâncias químicas do cérebro ou descansar outras partes do cérebro. Também não é claro exatamente como se formam os sonhos. 

Uma região do cérebro responsável pelo pensamento de nível superior, chamada córtex sensorial, pode estimular o tronco cerebral, o que, por sua vez, provocaria movimentos oculares rápidos; outras ideias sugerem que os REMs - despertam o pensamento no córtex sensorial.

Para descobrir a origem dos sonhos, Arnulf e seus colegas estudaram 13 pessoas, enquanto estavam no sono REM. Todos estes participantes tinham desordem de auto-ativação, uma desordem cerebral que leva as pessoas a estar completamente apáticas com a mente completamente em branco durante o dia.

Pessoas com este distúrbio têm lesões na parte do cérebro denominada gânglios da base. Embora a maioria das suas capacidades cognitivas e das memórias estejam intactas, eles estão gravemente incapacitados por uma completa falta de tomada de decisão.

"Eles não podem fazer nada além de ficar sentados numa cadeira", disse Arnulf. "Você tem que dizer a eles para fazer as coisas, caso contrário, eles nunca as fariam - coisas mesmo simples, como ir ao banheiro, beber água, comer".

Quando se pergunta a estas pessoas em que estão a pensar, a resposta é sempre "nada". Inicialmente, os pesquisadores perguntaram aos pacientes para descreverem os seus sonhos num diário, mas foram confrontados diariamente com páginas em branco. Então eles decidiram acordar o paciente durante a noite e perguntar-lhes sobre os seus sonhos.

Quatro dos 13 pacientes tiveram sonhos durante o sono REM, em comparação com 12 das 13 pessoas sem a doença. Os sonhos das pessoas com as mentes em branco eram banais e sobre as tarefas rotineiras, como fazer a barba ou falar com a família, em comparação com os sonhos emocionais e bizarros dos participantes sem o distúrbio.

Os resultados sugerem que as imagens simples do sonho são formadas no tronco cerebral e posteriormente são enviadas para o córtex sensorial, que traduz o sonho numa história mais longa, mais complexa e preenche os sonhos com o seu teor surreal e emocional, afirma Arnulf.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Pois bem, e do que seriam feitos os sonhos? de átomos? Como os átomos se aglutinam para formar uma imagem dentro do cérebro já que segundo a física tudo é feito de átomos, quarks, elétrons, neutrons, protons, e vibrações dentro dos quarks, como tudo isso pode se rearranjar de tal forma para formar imagens dentro do nosso subconsciente? E quando sonhamos, como o cérebro projeta eu mesma nos sonhos podendo ser até mesmo um sonho lúcido, como é que ele faz isso?

    ResponderEliminar