Mortes por onda de calor podem triplicar até 2050

1
Mortes por onda de calor podem triplicar até 2050
O número de pessoas que morrem por causa das ondas de calor pode aumentar de três a quatro vezes em algumas regiões até meados deste século, como resultado das mudanças climáticas e do crescimento da população, de acordo com um novo estudo britânico.

Os pesquisadores analisaram a relação entre flutuações climáticas e as taxas de mortalidade no passado, e projetaram os resultados para as próximas décadas.

Eles descobriram que, até 2050, o número de mortes relacionadas com o calor na Inglaterra e no País de Gales poderiam superar em 3,5 vezes o número atual, que é de cerca de 2.000 mortes por ano nessas regiões.

O artigo foi publicado a 3 de fevereiro, no Journal of Epidemiology and Community Health. A exposição ao calor pode provocar hipertermia, uma condição na qual o corpo de uma pessoa absorve mais calor do que se dissipa, resultando em temperaturas de corpo perigosamente elevadas que necessitam de atenção médica.

Todos os anos, milhares de pessoas em todo o mundo morrem de hipertermia - um número de mortes maior do que a relacionada com tornados, furacões, inundações e terremotos combinados, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

Os idosos e as pessoas com condições médicas subjacentes estão em maior risco de morrer de hipertermia. O número de mortes relacionadas com o calor variam de país para país, mas os cientistas têm alertado que um número crescente de pessoas estarão em risco de hipertermia.

Tal facto aparece associado com o facto das populações estarem a envelhecer e os dias quentes de verão estarem a tornar-se mais comuns devido ao aumento da temperatura média global. 

Num estudo anterior, pesquisadores da Universidade de Columbia, descobriram que o número de mortes relacionadas com o calor em Manhattan poderia praticamente dobrar até 2080.

No novo estudo, os pesquisadores basearam os seus cálculos nas temperaturas médias diárias no Reino Unido para os anos de 2000 a 2009, e as temperaturas previstas para 2020, 2050 e 2080, derivados de dados do Centro de Dados atmosférica britânico.

De acordo com essas projeções, o número de dias de clima quente no Reino Unido está previsto subir muito, triplicando em frequência a meados da década de 2080, enquanto se espera que o número de dias frios caia a um ritmo mais lento, e reduza as mortes relacionadas com o frio em 2 por cento. [Livescience]
Temas

Enviar um comentário

1Comentários
  1. Pois é, a temperatura continua subindo. O aquecimento global continua cada vez mais crítico. Então é um problema meio grave. Infelizmente parece que essa estimativa é verdadeira.

    ResponderEliminar
Enviar um comentário