Perda de glaciar da Antártida é irreversível

0
Perda de glaciar da Antártida é irreversível
O colapso catastrófico do maciço de gelo da Antártida Ocidental está em andamento, disseram hoje (12 de maio) os pesquisadores. [Elevação do nível do mar e mudanças climáticas]

Os maiores glaciares no oeste da Antártida estão a derreter sem qualquer forma de se poder conter a perda, afirmam dois estudos independentes.

O degelo imparável é o início provável de um efeito dominó à muito temido, que poderá causar o degelo de toda a camada de gelo, ou a não diminuição quer as emissões de gases de efeito estufa diminuam ou não. [Assista a 60 anos de aquecimento global em 15 segundos]

"A diminuição dos glaciares manter-se-á durante décadas e até séculos e nós não podemos pará-lo", disse o principal autor do estudo, Eric Rignot, glaciologista da Universidade da Califórnia, e do Jet Propulsion Laboratory, da NASA.

"Um amplo sector do manto de gelo da Antártida Ocidental passou o ponto de não retorno", acrescentou. [E se todo o gelo derretesse?]

O maciço gelado da antártida ocidental detém 10 por cento do gelo da Antártida. Os glaciares aqui ficam com a sua base abaixo do nível do mar, derretendo de forma preocupante desde os anos 1970.



À medida que o gelo derrete, ele encolhe de volta para águas mais profundas, fazendo com que os glaciares sejam instáveis. Dois artigos publicados hoje na revista Geophysical Research Letters and Science, usaram abordagens diferentes para prever o futuro do degelo da Antártica Ocidental.

Um estudo acompanhou os maiores glaciares da região durante 40 anos e concluiu a partir de observações diretas que o degelo é imparável. O outro baseia-se em modelos de computador sofisticados para prever o futuro derretimento do glaciar Thwaites, o maior dos rios de gelo congeladas da Antártica Ocidental.

Ambos os estudos concluem que mesmo mudanças dramáticas no clima não vão parar o degelo, porque os glaciares estão a recuar em vales profundos, sem sulcos ou montanhas para impedir o seu rápido degelo.

Elevação dos mares


A boa notícia é que o aumento do nível do mar será relativamente pequeno nos próximos séculos, de acordo com o modelo de Thwaites Glacier publicado hoje na revista Science. "Ao longo dos próximos séculos, a taxa de aumento do nível do mar será bastante moderada", disse o principal autor do estudo Ian Joughin, glaciologista da Universidade de Washington.

Mas o rápido recuo observado nos últimos 40 anos significa que, nas próximas décadas, o aumento do nível do mar, provavelmente excederá as projeções de aumento deste século. Se tudo na Antártida Ocidental derreter, o colapso está previsto para elevar o nível do mar em 3,3 a 4 metros. [Livescience]
Temas

Enviar um comentário

0Comentários
Enviar um comentário (0)