Conheça 6 aviões civis derrubados nos últimos 40 anos

Conheça 6 aviões civis derrubados nos últimos 40 anos
A queda de uma aeronave comercial malaia na passada quinta-feira no leste da Ucrânia pode ter sido causada por um míssil.

Apesar de estranho, esta não é a primeira vez que aviões comerciais são derrubados por motivos militares. Conheça alguns casos de aviões civis abatidos nos últimos 40 anos.

23 de março de 2007


Um Ilyushin pertencente à companhia aérea bielorrussa foi atingido por um foguete logo após a sua descolagem na capital somali, Mogadíscio, no auge da guerra civil provocando 11 mortos.

O avião transportava engenheiros e técnicos da Bielorrússia que iam realizar reparos noutra aeronave, atingida por um míssil duas semanas antes.

4 de outubro de 2001


Um Tupolev-154 da companhia aérea russa Sibir que voava de Tel Aviv para Novosibirsk, na Sibéria, explodiu quando sobrevoava o Mar Negro, a menos de 300 km da costa da Crimeia (sul da Ucrânia).

Tupolev-154 da companhia aérea russa Sibir


Setenta e oito pessoas, na sua maioria israelitas, morreram. Uma semana depois, Kiev reconheceu que o desastre tinha sido causado pelo disparo acidental de um míssil ucraniano.

3 de julho de 1988


Um Airbus A-300 da companhia aérea Iran Air, que voava entra Bandar Abbas e Dubai (Emirados Árabes Unidos), foi abatido logo após a descolagem por dois mísseis disparados por uma fragata americana que patrulhava o Estreito de Hormuz.

Airbus A-300 da companhia aérea Iran Air


Duzentas e noventa pessoas foram mortas. A tripulação do USS Vincennes alegou ter confundido o Airbus com um caça iraniano. Teerão recebeu dos Estados Unidos uma indemnização de 101,8 milhões de dólares.

1 de setembro de 1983


Um Boeing 747 da Korean Airlines (KAL) foi derrubado por um caça soviético sobre a ilha de Sakhalin, depois de se ter afastado da sua rota. Todos os 269 passageiros e tripulantes morreram.

Boeing 747 da Korean Airlines


Moscovo reconheceu a sua responsabilidade apenas cinco dias depois, sob pressão internacional e depois de uma condenação do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

27 de junho de 1980


Um DC-9 da companhia Itavia com 81 pessoas a bordo, que voava entre Bolonha e Palermo, explodiu em pleno voo perto da ilha de Ustica, na Sicília.

DC-9 da companhia Itavia


As responsabilidades e as circunstâncias da catástrofe não foram estabelecidas, mas acredita-se que um míssil disparado por engano por um caça americano, ou por um francês, possa ter causado a queda. De acordo com essa hipótese, o avião da Itavia pode ter sido confundido com um líbio.

21 de fevereiro de 1973


Um Boeing 727 da companhia Libyan Arab Airline, que voava de Trípoli para o Cairo, foi derrubado por um caça israelita sobre o deserto do Sinai: 108 das 112 pessoas a bordo morreram.

Boeing 727 da companhia Libyan Arab Airline


O Boeing, que estava desaparecido, foi interceptado sobre a Península do Sinai, então ocupada por Israel. Segundo as autoridades o avião ter-se-á recusado a aterrar tendo esse fato conduzido ao seu abate. [emresumo]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Poxa, dá até um certo medo de voar desse jeito. Muita covardia. Poxa!

    ResponderEliminar
  2. É inaceitável que acidentes assim ainda aconteçam.

    ResponderEliminar