A Ciência Explica a Atração Instantânea


http://www.ciencia-online.net/2012/11/a-ciencia-explica-atracao-instantanea.html
Como sabe quando se sente atraído para um novo rosto? Agradeça ao seu córtex pré-frontal medial, uma região do cérebro que desempenhar um papel importante na tomada de decisão românticas, de acordo com um novo estudo irlandês.

Diferentes partes da região, que fica perto da frente do cérebro, fazem um julgamento apressado sobre a atração física e sobre se a pessoa é a pessoa certa - tudo dentro de milisegundos após ver um novo rosto.

Para realizar o estudo, os pesquisadores recrutaram 78 mulheres e 73 homens, todos heterossexuais, do Trinity College de Dublin para participar num evento de speed dating. Como qualquer noite de speed-dating típica, os participantes giraram em torno da sala e conversaram uns com os outros durante cinco minutos. Após este encontro, preencheram formulários indicando quem gostariam de ver novamente.

Antes do evento speed-dating, 39 dos participantes passaram por um exame de imagem de ressonância magnética funcional (fMRI). Assim, os pesquisadores registaram a atividade do cérebro dos voluntários enquanto eles viam fotos das pessoas que posteriormente encontrariam no evento. Para cada figura, os voluntários tiveram alguns segundos para o pontuar, numa escala de 1 a 4, o quanto eles gostariam de sair com essa pessoa. Eles também relataram a sua atração física relativamente a cada pessoa e como eles achavam o quão simpática era cada pessoa.


Nos seguintes dias, os voluntários encontraram-se face a face com as pessoas nas fotos, durante o evento de speed dating. As pessoas acabaram por ser muito boas em saber quem as interessava com base em fotografias por si só, segundo os pesquisadores. Em 63% do tempo, o seu interesse inicial na pessoa baseado na fotografia foi apoiado pela sua decisão real após os 5 minutos de speed-date.

O evento de speed-date, aliás, foi incrivelmente honesto, disse Jeffrey Cooper, pesquisador de psicologia que conduziu o estudo. Os participantes que "combinaram" com outro voluntário do estudo, realmente trocaram números de telefone, e entre 10 e 20% acabaram por entrar em contato uns com os outros depois do estudo, disse Cooper.

Mais intrigante era que o cérebro estava a fazer na execução desses julgamentos. Os pesquisadores descobriram uma ligação entre uma região específica do córtex pré-frontal medial, chamada de córtex paracingular, e as decisões das pessoas fundamentais sobre namoro. Esta região ficava com maior atividade quando os voluntários viam fotos de pessoas que eles mais tarde diziam querer conhecer.

Enquanto isso, o córtex pré-frontal ventromedial, que fica mais perto da frente da cabeça, tornou-se especialmente ativo quando os participantes olharam para rostos que achavam ser atraentes. Mas havia um problema: Esta região era mais ativa quando se olhava para os rostos que a maioria das pessoas acordavam serem quentes. Naturalmente, as pessoas nem sempre concordam nesse aspeto. Quando as pessoas viam um rosto que ativava o seu gatilho, mas não obtinha classificação grandes de outros, uma região diferente era ativada: o córtex pré-frontal rostromedial, um segmento do córtex pré-frontal medial inferior localizado no cérebro.

Esse papel faz sentido para a região rostromedial, porque a região é conhecida por ser muito importante nas decisões sociais. Entre os julgamentos que esta região faz está o encontrar semelhanças entre alguém é o próprio. Dado que as pessoas tendem a achar pessoas semelhantes atraentes como parceiros em potencial, o córtex pré-frontal rostromedial poderá estar a dizer: "Ei, isso corresponde a um de nós!"

Há duas maneiras de olhar para os resultados, publicados hoje (7 de Novembro) no Journal of Neuroscience. Uma, disse Cooper, é que somes bastante superfíciais. Nos primeiros milissegundos de ver uma cara nova, avaliamos a atratividade física. Mas o córtex pré-frontal rostromedial vai um pouco mais a fundo, perguntando muito rapidamente: "Sim, mas são compatíveis comigo?". "Estes são realmente processos separados", disse Cooper. "Mas eles realmente acontecem ambos na sua cabeça enquanto você faz as avaliações iniciais".


PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Publicar um comentário