Partícula rara encontrada pode lançar dúvidas sobre as populares Teorias da Física

0

http://www.ciencia-online.net/2012/11/particula-rara-encontrada-pode-lancar.html
Uma medição de partículas extremamente rara poderá lançar dúvidas sobre uma teoria popular sobre os blocos de construção fundamentais do universo, incluindo a matéria escura. Físicos do Large Hadron Collider (LHC), na Suíça mediram um tipo particular de transformação de partículas, pela primeira vez, e descobriram que isso acontece quase tão frequentemente como previsto pela teoria dominante da física de partículas, chamada de modelo padrão.

A medida é apenas preliminar - os pesquisadores não têm dados suficientes para ser positivo que o que estão a ver não é apenas uma ocorrência aleatória. Ainda assim, o fato de que as observações iniciais correspondem tão bem com as previsões do Modelo Padrão não é um sinal de esperança para o que os cientistas chamam de "nova física", tais como novas partículas não previstas pelo Modelo Padrão.

Uma das teorias mais populares da nova física é a ideia de "supersimetria" - que todas as partículas subatómicas conhecidas têm partículas "superparceiras" que ainda não foram observadas. Se superparceiras existem, elas podem ajudar a explicar alguns mistérios da física persistentes, tais como a natureza da matéria escura, uma substância invisível que se julga forma um quarto do universo. Os cientistas pensam que a matéria escura pode, de facto, ser composta por partículas supersimétricas que ainda não tenham sido detectadas.

"Muitas teorias físicas novas recebem um duro golpe pela correspondência muito boa entre a previsão do Modelo Padrão e taxa observada", disse o físico de partículas Tommaso Dorigo, que trabalha numa experiência separada no Large Hadron Collider.

Os cientistas do LHC informaram que observaram sinais de partículas chamadas mesões B_s ("B-sub-S"), que são feitas de um fundo anti-quark vinculados a um quark estranho, decaindo em duas partículas conhecidas como muões. Mesões B_s são partículas instáveis ​​que normalmente não são encontrados na Terra, mas às vezes são criadas quando protões são esmagados depois de serem acelerados até perto da velocidade da luz. A explosão resultante cria uma infinidade de partículas exóticas, incluindo quantidades significativas de mesões B_s.

Estas partículas são previstos para decair em pares de muões pelo modelo padrão, mas apenas muito, muito raramente estas partículas decaem - cerca de três vezes em cada 1.000 milhões. Normalmente, estas partículas transformam-se noutras coisas. Experiências de física de partículas, incluindo o agora aposentado Tevatron Collider, em Illinois, procuraram por esta decadência há duas décadas, sem sorte até agora. 

Em março deste ano, os físicos do LHC anunciaram que tinham colocado limites da forma como a queda pode ocorrer, mas agora eles relatam a primeira evidência para a sua ocorrência. Os cientistas LHC relataram os seus resultados hoje no Hadron Collider Particles Simposium em Kyoto, no Japão.


Temas

Enviar um comentário

0Comentários
Enviar um comentário (0)