Pele artificial auto-curável tem sensação de toque


http://www.ciencia-online.net/2012/11/pele-artificial-auto-curavel-tem.html
Um material novo e flexível é capaz de sentir toque e curar-se de cortes. Isso soa familiar? A pele humana pode sentir flexão, pressão e outras texturas, é claro, e é capaz de corrigir pequenos cortes. Este novo material feito pelo homem foi projetado para reproduzir algumas das habilidades básicas da pele humana, de modo que próteses e robôs no futuro podem ter uma cobertura de pele artificial.

Durante a última década, vários grupos de pesquisa têm tentado fazer a pele artificial para robôs e outros dispositivos electrónico  Esta é a primeira vez que é capaz não só de selar-se de volta depois de ter sido cortada em dois, mas também recuperar a sua capacidade de sentir toque depois de ser cortado.

O novo material é feito com um polímero, um material tipo plástico, que possui átomos de níquel incorporados. O polímero proporciona à pele a sua capacidade de auto-cura, porque as moléculas do polímero são capazes de se conectar umas ás outras novamente após o polímero ser cortado. É também um pouco flexível.


Enquanto isso, os átomos de níquel infundem a pele com uma sensação de toque, porque eles são capazes de conduzir electricidade. Prensar ou torcer a pele muda a distância entre os átomos de níquel e altera o fluxo de electricidade entre os átomos. No futuro, um programa de computador poderá interpretar o fluxo alterado de electricidade como toques. A nova pele é sensível o suficiente para detectar a pressão de um aperto de mão, disse Benjamin Tee, um dos engenheiros que trabalharam no material.

Para demonstrar a sua capacidade de cura, Tee e a sua equipa cortaram um pedaço da pele em dois usando um bisturi. Em seguida, pressionaram as bordas do corte juntas por 15 segundos. Eles cortaram e pressionaram várias vezes, mostrando que a pele é capaz de recuperar a sua força, flexibilidade e capacidade de conduzir electricidade, mesmo depois de vários cortes.

No entanto, a experiência não mostra que a pele é capaz de curar-se de qualquer ferimento. É mais fácil para um material fixar-se após o corte de bisturi limpo do que depois de ser esticada e separada, então pode ser que a pele Stanford não cure completamente de certas feridas. A equipa de Stanford agora está a trabalhar para fazer uma pele artificial que pode ficar alongada, disse Zhenan Bao. 

Os engenheiros também gostaria de torná-la transparente, para que pudesse ser utilizada num invólucro ou uma tampa para telas em dispositivos electrónicos. Tee, Bao e seus colegas publicaram o seu trabalho a 11 de Novembro na revista Nature Nanotechnology.


PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. Your article is detailed, thanks to it I solved the problem I am entangled. I will regularly follow your writers and visit this site daily.

    ResponderEliminar
  2. It is easy to understand, detailed and meticulous! I have had a lot of harvest after watching this article from you! I feel it interesting, your post gave me a new perspective! I have read many other articles about the same topic, but your article convinced me! I hope you continue to have high quality articles like this to share with veryone!
    happy wheels

    ResponderEliminar
  3. Thanks for your post! It's been a long time since I read a good article and such a meaning! I hope you will continue to write articles like these for hobbyists!
    mac shortcuts

    ResponderEliminar