Os seres humanos estão a ficar menos inteligentes?


http://www.ciencia-online.net/2012/11/os-seres-humanos-estao-ficar-menos.html
Os seres humanos podem estar gradualmente a perder a inteligência, de acordo com um novo estudo. O estudo, publicado a 12 de Novembro na revista Trends in Genetics, argumenta que os humanos perderam a pressão evolutiva de ser inteligentes, uma vez que começaram a viver em densas colónias agrícolas há vários milhares de anos.

"O desenvolvimento das nossas capacidades intelectuais e a otimização de milhares de genes de inteligência provavelmente ocorreram em grupos relativamente não-verbais, dispersos dos povos antes dos nossos ancestrais surgiram em África", disse o autor do estudo, Gerald Crabtree, pesquisador da Universidade de Stanford. Desde então, tudo foi ladeira abaixo, afirma Crabtree.

Os primeiros humanos viveram ou morreram por suas habilidades espaciais, como fugir rapidamente para um abrigo ou caçar um tigre dentes de sabre. Hoje em dia, apesar de quase toda a gente ter a capacidade espacial para fazer tarefas aparentemente simples, como lavar a louça ou cortar a relva, tais tarefas realmente exigem muita capacidade intelectual, observam os pesquisadores.

E podemos agradecer aos nossos antepassados ​​e ao mecanismo altamente sintonizado de seleção natural, para tais habilidades. Enquanto isso, a capacidade de jogar xadrez ou compor poesia provavelmente evoluiu como efeitos colaterais. Mas, após a expansão da agricultura, quando os nossos ancestrais começaram a viver em comunidades agrícolas densas, a necessidade intensa para manter esses genes em condições gradualmente diminuiu.

E é improvável que a vantagem evolutiva de inteligência seja maior do que durante o nosso passado de caçadores-recoletores, argumenta. "Um caçador-recoletor que não usou ou concebeu uma solução para o fornecimento de comida ou abrigo provavelmente morreu, junto com a sua descendência, enquanto um moderno executivo de Wall Street que comete um erro conceptual similar recebe um bónus substancial e é um companheiro mais atraente. Claramente, a selecção extrema é uma coisa do passado", escrevem os pesquisadores.

Algures entre os 2.000 e os 5.000 genes determinam a inteligência humana, e esses genes são particularmente suscetíveis a mudanças prejudiciais, ou mutações, escrevem os pesquisadores. Com base no conhecimento da taxa de mutações, a equipe conclui que a pessoa média abriga duas mudanças genéticas que evoluíram ao longo dos últimos 3.000 anos.

A hipótese é contra-intuitiva em primeiro lugar. Afinal de contas, em todo o mundo o QI médio aumentou dramaticamente ao longo dos últimos 100 anos, um fenómeno conhecido como Efeito Flynn. Mas a maior parte desse salto provavelmente resultou de um melhor atendimento pré-natal, melhor nutrição e menor exposição a substâncias químicas do cérebro, como chumbo, argumenta Crabtree.

Mas só porque os humanos têm mais mutações em genes de inteligência não significa que estão a tornar-se menos inteligentes enquanto espécie, disse o psicólogo Thomas Hills, da Universidade de Warwick, que não esteve envolvido no estudo. Em vez disso, retirar a pressão para que todos sejam caçadores ou coletores pode ter-nos permitido evoluir para uma população mais diversificada, com diferentes tipos de inteligência, disse ele.


PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Interesting article! Thank you for sharing them! I hope you will continue to have similar posts to share with everyone!

    ResponderEliminar
  2. It is easy to understand, detailed and meticulous! I have had a lot of harvest after watching this article from you! I feel it interesting, your post gave me a new perspective! I have read many other articles about the same topic, but your article convinced me! I hope you continue to have high quality articles like this to share with veryone!
    slither io

    ResponderEliminar