Final de uma era: O Apocalipse Maia de hoje

0

http://www.ciencia-online.net/2012/12/final-de-uma-era-apocalipse-maia-de-hoje.html
Hoje é o último dia do 13º ciclo de 144.000 dias do Calendário de Contagem Longa Maia - também conhecido como o Apocalipse Maia. Tenha em mente que os antigos Maias nunca previram um apocalipse e que o seu calendário é, de fato, capaz de continuar por milhões de anos. 

A ideia de um evento mundial que terminsse em 2012 borbulhava em conspirações da Internet e tomaram conta da cultura pop com filmes como o "2012", lançamento em 2009. O resultado final? Agricultores chineses a fazer "vagens para escapar ao juízo final", a NASA a ser inundada com telefonemas preocupados, e supostas montanhas místicas na Europa a ser invadidas por turistas do apocalipse.

Sustos apocalípticos foram acontecendo durante centenas de anos, mas a maioria é provocada por líderes carismáticos que emitem proclamações divinas. No entanto, o apocalipse Maia é diferente deste padrão. "É completamente diferente de qualquer outra previsão do fim do mundo", disse Lorenzo DiTommaso, professor de religião na Universidade Concordia, em Montreal.

O apocalipse Maia surge de um dos três calendários maias antigos usados ​​e esculpidas em templos e monumentos. Este calendário particular, o calendário de longa contagem, gravou os dias desde a data da criação mítica dos Maias em cinco pedaços de tempo. Primeiro, o k'in, que conta o dia-a-dia até 20 antes passando então a uinals. Um uinal corresponde a 20 dias. A próxima unidade, chamada de tun, é composta por 18 uinals, totalizando 360 ​​dias.

A partir daí, os ciclos continuam. Vinte tuns tornam-se um ka'tun (7.200 dias no total) e 20 ka'tuns tornam-se um b'ak'tun (144.000 dias no total, ou cerca de 400 anos). Por coincidência de datas do calendário maia para o nosso próprio calendário, os pesquisadores concluíram que 21 de dezembro de 2012, seria a data provável para o último dia do b'ak'tun 13 (23 de dezembro ou 24 de dezembro são outras possibilidades, graças a diferentes unidades do calendário rodarem em diferentes momentos do dia).

Assim, 21 de dezembro escrito em datação moderna, corresponde a 13.0.0.0.0, em datação Maia. Amanhã, 22 de dezembro será 13.0.0.0.1. O que torna este dia do juízo final diferente é que não é uma religião ou culto a promovê-lo, como ocorreu com o dia do juízo final biblicamente inspirado de Harold Camping, em 2011. As previsões catastróficas são quase sempre um fenómeno de cima para baixo conduzido por um líder religioso, disse DiTommaso. Os rumores do apocalipse Maia, porém, surgiram online e consistem em dezenas de previsões conflituosas sobre o que vai acontecer.

"Esta é a primeira vez que isso ocorreu como um fenómeno global", disse DiTommaso acerca dos rumores de base apocalíptica. Os boatos podem surgir a partir de um choque de culturas simples. Os Maias viam o tempo como cíclico; os ocidentais, influenciados pela tradição judaica e cristã, tendem a assumir que um fim acabará por vir. Entre as previsões: Um "planeta errante" ou asteróide irá colidir com a Terra; erupções solares irão destruir a eletrónica do planeta; campo magnético da Terra irá inverter-se, similarmente destruindo a eletrónica ou talvez deixando as pessoas sem proteção contra a radiação cósmica.

NASA deitou por terra todas estas previsões astronómicas. Não há objetos próximos da Terra estabelecidos em rota de colisão com o planeta, nem o sol está extraordinariamente ativo. O campo magnético irá inverter-se, mas num período de milhares de anos, não num piscar de olhos.

Outro conjunto de crentes não acha que o mundo vai acabar na sexta-feira, mas em vez disso,  irá passar por uma mudança de consciência ou de um movimento em direção à paz universal. Os Maias viam o dia como o amanhecer de uma nova era, e há cerimónias programadas por toda a América Central por pessoas que não têm medo, mas estão esperançosas.
Temas

Enviar um comentário

0Comentários
Enviar um comentário (0)