Enorme "Monstro marinho" dominava os rios antigos

0

http://www.ciencia-online.net/2012/12/enorme-monstro-marinho-dominava-os-rios.html
Répteis predadores gigantes com um estilo de vida comparável ao dos golfinhos de água doce modernos, podem ter feito dos rios antigos a sua casa, dizem os pesquisadores.

Enquanto os dinossauros dominaram em terra, uma variedade de répteis, reinou nos mares, incluindo o ictiossauros, com forma semelhante à dos golfinhos, e os plesiossauros, semelhante ao monstro de Loch Ness. No novo estudo, os cientistas investigaram outra besta semelhante - extintos carnívoros, conhecidos como mosassauros, geralmente considerados como lagartos marinhos com gigantescas barbatanas semelhantes, e talvez até mesmo relacionados, aos lagartos atuais.

Os fósseis de Mosassauro foram desenterrados a partir de 1999 numa mina a céu aberto nas Colinas Bakony, no oeste da Hungria. Os pesquisadores descobriram vários espécimes com 84 milhões de anos de idade, que vão desde pequenos jovens até adultos de 20 pés (6 metros) de comprimento que tinham membros como os lagartos, um crânio achatado e uma cauda ao contrário de outros membros conhecidos da família mosassauro.


Os fósseis foram descobertos em áreas que antes eram planícies inundadas de água doce, com peixes, anfíbios, tartarugas, crocodilos, lagartos terrestres, pterossauros, dinossauros e pássaros. Este réptil recém descoberto parece ser o primeiro mosassauro de água doce conhecido. A nova espécie é chamada Inexpectatus Pannoniasaurus. "Pannonia" refere-se à parte da Hungria oonde foi encontrado, "saurus" significa lagarto, e "inexpectatus" refere-se à ocorrência inesperada deste mosassauro em ambiente de água doce.

"O tamanho do Pannoniasaurus torna-o o maior predador conhecido nas águas deste paleo-ambiente", disse o pesquisador László Makadi, paleontólogo do Museu de História Natural Húngaro. A história evolutiva dos mosassauros sugerida por essas novas descobertas é muito semelhante ao de baleias e golfinhos, disse Makadi.

Os pesquisadores planeiam investigar novos fósseis de Pannoniasaurus, na esperança de aprender mais sobre a biologia do animal, e compreender, por exemplo, como ele se mudou e o que poderia ter comido, disse Makadi. Os cientistas detalharam as suas descobertas online a 19 de dezembro na revista PLoS ONE.

Enviar um comentário

0Comentários
Enviar um comentário (0)