Mais antigas gravuras de Faraó descobertas no Egito


http://www.ciencia-online.net/2012/12/mais-antigas-gravuras-de-farao.html
As representações mais antigas conhecidas de um faraó estão esculpidas em rochas perto do rio Nilo, no sul do Egito, relataram os investigadores. 

As gravuras foram observadas pela primeira vez  na década de 1890, mas só foram redescobertas em 2008. Neles, uma figura de coroa branca viaja em procissões cerimoniais e em barcos com forma de foice, talvez representando um tour de coleta de impostos no início do Egito.

As cenas mostradas colocam a idade das esculturas entre 3200 AC e 3100 AC, disseram os pesquisadores na edição de dezembro da revista Antiquity. Durante esse tempo, o Egito fazia a transição para a regra dinástica dos faraós.

"É realmente o fim da pré-história e o início da história", no Egito, disse a pesquisadora Maria Gatto. O arqueólogo Archibald Sayce desenhou pela primeira vez as gravuras, encontradas na aldeia de Nag el-Hamdulab, na década de 1890, mas o único registo da descoberta de Sayce foi uma ilustração parcial publicada num livro.

O local foi então esquecido até à década de 1960, quando o arqueólogo egípcio Labib Habachi tirou fotos das gravuras, que ele nunca publicou. Uma dessas fotos ressurgiu em 2008, tendo Gatto e a sua equipa começado a procurar o local, que muitas pessoas assumiam ter sido destruído.

Algumas das gravuras foram realmente vandalizadas desde os anos 1960, mas Gatto e a sua equipa encontraram as pedras gravadas num anfiteatro natural, a oeste de Nag el-Hamdulab. Eles então compararam as gravuras com as fotografias de 1960 de Habachi.

Há sete gravuras espalhadas por toda a área, e muitos são quadros vivos de barcos ladeados por prisioneiros. Uma das mais extensa mostra cinco barcos, um dos quais abriga o faraó de coroa branca, seu fã-portador e dois porta-estandartes. 

As gravuras incluem uma cena de pessoas e cães de pastoreio de gado e um grupo de animais, dois deles aparentemente míticos, parte leão-feras. Os outros animais são conhecidas espécies nativas africanas, incluindo duas avestruzes, um ibex e um touro. Outra cena mostra o preparo e consumo de cerveja, talvez uma referência a um festival.

O estilo das gravuras e hieróglifos colocam a criação das imagens ao redor de 3200 AC a 3100 AC. Este teria sido o reinado de Narmer, o primeiro faraó a unificar o Alto e Baixo Egito. Com base nos símbolos de poder e controle nas gravuras, Gatto e seus colegas acreditam que a arte veio da primeira parte do reinado de Narmer, antes dele unificar as duas partes do Egito.

O próximo passo para os pesquisadores é proteger o local. Isso representa um desafio, não só por causa da localização das gravuras ao ar livre, mas também por causa da recente agitação política no Egito.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário