Estudo: Os pares e não a TV, influenciam os problemas corporais das raparigas


http://www.ciencia-online.net/2013/02/estudo-os-pares-e-nao-tv-influenciam-os.html
A televisão, os filmes, as revistas e outros meios de comunicação são muitas vezes culpados pela insatisfação corporal entre as adolescentes, promovendo a ideia de que magro é igual a bonito. Mas um novo estudo descobriu que as meninas podem realmente sentir maior pressão para serem magras ao compararem-se com os seus pares.

Pesquisadores da Texas A&M International University recrutaram 237 raparigas hispânicas, com idades entre 10 e 17, e pediram-lhes para nomear os seus três programas de TV favoritos e para avaliar a atratividade das atrizes nesses programas, de forma a medir a sua exposição ao ideal de beleza de Hollywood.

Os pesquisadores avaliaram o peso e altura das raparigas, o uso de mídia social e a competição de pares, ou sentimento de inferioridade em resposta a outras raparigas. Os participantes também foram questionados sobre como se sentiam acerca dos seus corpos, se tiveram algum sintoma de um transtorno alimentar e quão satisfeitos estavam com as suas vidas. Estas avaliações foram repetidas em 101 das raparigas seis meses depois.

A exposição à TV e o uso de mídia social não previu sintomas de transtornos alimentares nem previram a insatisfação com o corpo, disseram os pesquisadores. A competição de pares, no entanto, parecia influenciar significativamente insatisfação com o corpo e, a longo prazo, previa sintomas de transtorno alimentar.

"Nossos resultados sugerem que a competição de pares, e não só a televisão ou o uso de mídia social, prevê resultados negativos para a imagem do corpo", concluem os autores do estudo num artigo que apareceu este mês no Journal of Youth and Adolescence. Noutro estudo, verificou-se que a concorrência entre pares e o uso de mídias sociais prevêem níveis mais baixos de satisfação com a vida. Os autores escreveram que "o uso de mídia social pode fornecer uma nova arena para a competição de pares."

De fato, estudos anteriores mostraram que os sites de mídia social como o Facebook podem ser um meio perigoso para a comparação social. Num estudo apresentado no ano passado, as pessoas com muitos amigos do Facebook tinha baixa auto-estima e sentiam-se pior sobre o seu lugar na vida e suas realizações se tivessem visto as atualizações de status dos seus amigos. Mas para as pessoas com apenas alguns amigos do Facebook, ver as atualizações de status não era um problema [ver mais].

Outra pesquisa no ano passado sugeriu que a genética pode influenciar a satisfação corporal em mulheres jovens. Nesse estudo, os pesquisadores compararam respostas a perguntas por pares de gémeos. Porque os irmãos são criados em ambientes muito semelhantes, a diferença entre os gémeos fraternos, que compartilham cerca de metade dos seus genes, e os gémeos idênticos, que compartilham todos os seus genes, sugerem uma sustentação genética à insatisfação com o corpo. Os pesquisadores descobriram que, quanto mais semelhantes eram os genes, mais semelhantes eram também as respostas.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário