Mega Vulcões podem ter matado metade das espécies da Terra


http://www.ciencia-online.net/2013/03/mega-vulcoes-podem-ter-matado-metade_25.html
Maciças erupções vulcânicas podem ter levado ao extermínio metade das espécies da Terra há cerca de 200 milhões de anos, sugere um novo estudo.

A liberação de gases de efeito de estufa das erupções gigantes causaram a mudança climática que levou à extinção do final do Triássico, a perda generalizada de espécies terrestres e marítimas que abriu caminho para a ascensão dos dinossauros, diz a pesquisa. 

O novo estudo, publicado a 21 de março na revista Science, mostra que um conjunto de grandes erupções que vão desde o que é agora de Nova Jersey até Marrocos ocorreram muito perto da época da extinção.

Cientistas suspeitavam anteriormente que a atividade vulcânica e a mudança climática resultante foram responsáveis ​​por esta extinção em massa, e pelo menos outras quatro. Mas os pesquisadores não foram capazes de restringir as datas das erupções e a extinções bem o suficiente para comprovar a hipótese. O novo estudo, no entanto, data a extinção do final do triássico a 201.560 mil anos atrás, ao mesmo tempo, os vulcões estavam em erupção exacerbada.


As erupções começaram quando a terra era parte de um supercontinente gigante chamado Pangea. Duraram mais de 600.000 anos e criaram uma fenda que se tornou o Oceano Atlântico. Os pesquisadores estudaram a lava desses fluxos nos dias modernos da Nova Escócia, Marrocos e Nova Jersey.

As datas anteriores para essas erupções tiveram margens de erro de 1 a 3 milhões anos, mas este estudo diminui esses números numa ordem de magnitude. Os resultados mostraram que as mais antigas erupções maciças foram em Marrocos, seguidas por aquelas em Nova Escócia 3.000 anos mais tarde e, em seguida, Nova Jersey, mais de 10.000 anos depois. 

Fósseis de animais e de plantas, juntamente com o pólen e esporos da era Triassica, podem ser encontrados em camadas de sedimentos sob as correntes de lava, mas não em camadas acima deles. Isso sugere que as erupções dizimaram essas espécies. Os organismos que foram extintos incluem peixes semelhantes a enguias, chamado conodontes, e espécies de crocodilos primitivos, lagartos de árvores e plantas de folhas largas.

Os pesquisadores determinaram a idade das lavas com base no seu conteúdo mineral. Em fluxos de lava fria, as regiões do centro permanecem quentes, e alguns elementos químicos, como o mineral zircão, não cristalizam. O zircão incorpora grandes quantidades de urânio, que decai radioativamente em chumbo a uma taxa específica. Ao medir a proporção de urânio em rocha de lava, os cientistas puderam descobrir precisamente quando as erupções ocorreram.

A segunda evidência a apoiar o papel do vulcanismo vem das reversões no campo magnético da Terra. Os investigadores encontraram grãos de minerais a partir de uma destas inversões na camada de sedimento que se formou imediatamente antes da extinção. Uma vez que os pesquisadores encontraram as mesmas camadas em cada local estudado, a reversão magnética serve como um marcador para quando a extinção ocorreu.

A linha final de evidência vem de movimentos repetitivos da Terra. Enquanto o planeta gira sobre o seu eixo, oscila em torno de si como um pião, o que faz com que a quantidade de energia que recebe do sol pode variar dependendo das áreas que são apontadas diretamente para o sol. Estas flutuações correspondem a diferentes condições climáticas, e ocorrem em intervalos regulares. Ao usar esses intervalos, os pesquisadores foram capazes de determinar a idade de fósseis contendo sedimentos dentro de 20.000 anos.

As erupções gigantescas teria ventilado sulfatos que refletiam a luz solar de volta ao espaço, resfriando efetivamente o planeta durante milhares de anos. Mas as erupções também teria lançado grandes quantidades de dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa, causando o aquecimento global. Muitas espécies não teriam sido capazes de sobreviver a essa mudança drástica de temperatura e teriam morrido.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários: