Pequeno e estranho fóssil de primata descoberto em mina de carvão

0
Pequeno e estranho fóssil de primata descoberto em mina de carvão


A mandíbula fossilizada de um primata minúsculo, que viveu há cerca de 35 milhões de anos na Ásia foi descoberto em minas de carvão tailandesas.

A nova espécie, apelidada Krabia minuta, em homenagem às minas de carvão Krabi onde foi encontrada, era um antigo membro de um grupo extinto de primatas chamados antropóides, que inclui os ancestrais de todos os macacos e símios, incluindo os seres humanos. 

Mesmo assim, a criatura mostrava características peculiares, incluindo os seus molares distintos, não vistos em outros membros deste grupo de primatas. O pequeno primata surgiu durante um período misterioso quando de alguma forma os primatas atravessaram um vasto mar da Ásia para África.

"Os antropóides asiáticos eram provavelmente mais diversificados do que o que sabemos hoje e provavelmente também desempenharam um papel importante na origem dos modernas antropóides", disse o co-autor Jean-Jacques Jaeger, paleontólogo da Universidade de Poitiers, na França.

Embora os seres humanos tenham vindo de África, os antropóides, precursores de macacos e seres humanos, provavelmente surgiram na Ásia. Antropóides fósseis foram encontrados na China datando 45 milhões de anos, e no Sudeste da Ásia até 40 milhões de anos, mas espécies semelhantes só aparecem na Líbia, em África, desde cerca de 38 milhões de anos.

Os cientistas ficaram perplexo com a forma como estes símios antigos conseguiram sair da Ásia e viajar para África - uma jornada impressionante, considerando que, na altura, a África estava separada da Ásia pelo mar de Tétis , que era maior do que o Mar Mediterrâneo, afirma Christopher Beard, paleontólogo do Museu Carnegie de História Natural, em Pittsburgh, que não esteve envolvido no estudo.

Uma hipótese é que os ciclones ferozes arrancaram pedaços inteiros de terra e árvores na Ásia - completos com primatas e roedores agarrados aos ramos - e definiram mini-ilhas à deriva no mar. Aquelas ilhas eventualmente flutuaram até África, e os poucas moradores que sobreviveram colonizaram o novo continente, acredita Beard.

No entanto, os fósseis asiáticos que poderiam ajudar a testar esta hipótese têm sido difíceis de encontrar. "O problema para os paleontólogos é que quando você tem tanta folhagem em toda a parte, como uma selva, é quase impossível encontrar fósseis", porque a vegetação encobre a terra onde os fósseis estariam expostos, afirma Beard.

Jaeger e seus colegas escavaram na mina de carvão Krabi, na Tailândia, onde a terra já foi exposta. Os paleontólogos descobriram um tesouro de fósseis da área, incluindo um antrópode de 9 kg conhecido como Siamopitecus.

A equipa descobriu parte de uma mandíbula e dentes de uma pequena criatura que provavelmente pesava apenas meio quilo. Com base na geometria dos dentes, a criatura era definitivamente um antropóide, apesar de muito diferente de qualquer outro tipo previamente conhecido.

A equipa supõe que o pequeno símio é um membro (embora ímpar) de um grupo chamado amphipithecids, um grupo extinto de antropóides que viviam no Sudeste Asiático. Mas porque tão pouco do corpo da criatura foi preservado, Beard não está certo quanto à classificação .

Todavia, isso não diminui a importância do fóssil. Os resultados foram detalhados a 1 de outubro na revista Proceedings of the Royal Society B.

Enviar um comentário

0Comentários
Enviar um comentário (0)