6 Drogas recreativas que podem ter benefícios de saúde

6 Drogas recreativas que podem ter benefícios de saúde
O uso de drogas ilícitas para fins medicinais é um tema controverso, como alguns países no mundo a permitem o uso de maconha medicinal e outras substâncias.

Atualmente os pesquisadores médicos continuam a encontrar nas drogas recreativas um número surpreendente de benefícios para a saúde. Conheça aqui alguns desses exemplos.

6. Cogumelos mágicos 

Cogumelos contendo psilocibina produzem alucinógenos coloridos, mesmo quando consumido em pequenas quantidades. Há também algumas evidências de que pequenas quantidades de psilocibina podem aliviar os sintomas da cefaleia (dor de cabeça), transtorno obsessivo-compulsivo e depressão.

Uma pesquisa publicada no British Journal of Psychiatry , em 2012 descobriu que voluntários que consumiram psilocibina tinham melhorado a sua capacidade de recordação. Outro estudo de 2012, publicado na revista Proceedings, descobriu que a droga reduziu a atividade nos centros do cérebro que são hiperativos em pessoas com depressão.

5. Ecstasy 

Também conhecido como MDMA, o ecstasy é um composto sintético que produz alucinações, sentimentos de calor emocional e altos níveis de energia. As mesmas propriedades psicoativas que fazem do extase tão popular entre os foliões também podem torná-lo útil no tratamento do transtorno de stress pós-traumático. 

Outra pesquisa descobriu que o ecstasy tem propriedades anticancerígenas robustas, especialmente para leucemia, linfoma e mieloma. Em 2011, pesquisadores da Universidade de Birmingham descobriram que uma forma ligeiramente modificada de ecstasy era 100 vezes mais potente para destruir as células cancerosas do que a forma original.

4. Cocaína 

As folhas da planta da coca (Erythroxylum coca) têm sido usados ​​como um estimulante na América do Sul há milhares de anos. A droga derivada da coca, sendo que à cocaína foram atribuídos alguns benefícios à saúde. De facto, a cocaína pode ser usada como um anestésico tópico para procedimentos cirúrgicos, devido às suas propriedades anestésicas de acção rápida. 

Quando combinado com outros compostos numa preparação chamada TAC, a cocaína pode também tratar lacerações menores da pele, uma vez que o fármaco é um vasoconstritor eficaz (provoca estreitamento dos vasos sanguíneos).

Andrew Weil estudou efeitos gastrointestinais da coca entre as comunidades sul-americanas. "Se você olhar com cuidado o conjunto molecular da folha de coca, você encontra 14 alcalóides bioativos... enquanto a cocaína age como um estimulante do intestino, outros alcalóides da coca podem ter precisamente a ação oposta. Eles inibem a atividade do intestino", afirma Weil.

3. LSD

Dietilamida de ácido lisérgico, geralmente conhecido como LSD ou ácido, é um alucinógeno que tem sido amplamente utilizado há décadas, mas a pesquisa recente conclui que ele tem algum potencial para o tratamento de alcoolismo. Um estudo da Noruega, publicado em 2012 no Journal of Psychopharmacology, sugere que o LSD impediu alcoólatras de recaír durante o tratamento.

"O LSD trabalhou de uma forma totalmente diferente de todas as drogas psiquiátricas atuais", disse o autor do estudo, Teri Krebs, da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia. "Muitos pacientes disseram que tinham ganho uma nova apreciação para o seu problema de álcool e uma nova motivação para enfrentá-lo".

2. Ketamina (Cetamina)

Também chamada de "Special K", este tranquilizante animal é por vezes usado como droga recreativa pelos participantes de raves e outros eventos. A droga também pode combater eficazmente os sintomas de depressão. 

Um estudo de 2012 da revista Science descobriu que a cetamina pode ajudar a estimular o crescimento das sinapses no cérebro e os efeitos benéficos do fármaco em pessoas com depressão crónica pode ocorrer em horas. 

"A resposta terapêutica rápida de cetamina em pacientes resistentes ao tratamento é o maior avanço na pesquisa de depressão em meio século", afirmou em comunicado o pesquisador Ronald Duman, professor de psiquiatria e neurobiologia da Universidade de Yale.

1. Marijuana

Além de ser a droga mais utilizada em todo o mundo, tem uma série de vantagens médicas. De acordo com a NORML (um grupo de defesa da maconha), 21 estados americanos permitem algum uso de maconha medicinal.

Tem sido demonstrado através de anos de pesquisa cientifica que a droga pode aliviar a dor crónica, prevenir a perturbação de stress pós-traumático, estimular o apetite para pessoas com AIDS, controlar as náuseas, aliviar a pressão intra-ocular associada ao glaucoma, e ajudar no tratamento da dependência de opiáceos, assim como melhorar os sintomas da doença de Crohn. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

12 comentários:

  1. maconha é vida! BOM DIAA!!!

    ResponderEliminar
  2. As drogas são uma arte! Saber usar é o problema...

    ResponderEliminar
  3. uso cocaína a 10 anos e uma coisa maravilhosa nunca tive problemas com nada,saber usar que e importante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caraca vey
      Usa periodicamente ? Tira beneficios disso ?

      Eliminar
  4. Legal uma página q informa benefícios. Brasil muito atrasado ainda
    Política, p ganhar mais dinheiro.
    Realmente o problema esta no abuso.

    ResponderEliminar
  5. Com relação a coca deixa mais inteligente,assim segundo revista, veja, também segundo a mesma revista o qual eu convido pára uma reflexo,no tempo,sobre uma possível pesquisa sobre as drogas supracitada acima,por experiência própria venho descordar completamente sobre Kanabis Sativa,inclusive de qualquer benefícios,e sim malefícios inclusive uma esquizofrenia adquirida pensamentos desorganizados entre outros... Já a Coca superviciante e uma intensa sensação de bem estar,desorganização financeira,e,.... Sintomas diversos por biótipos bem como a Kanabis um imenso prejuízo social no que se refere a vida humana,sendo degradante o uso informou ainda ser a Kanabis a principal droga de entrada para a cocaína por o pensamento estar desorganizado (Lunático).Já as outras desconheço
    Sem mais
    VINICIUS AZEVEDO.

    ResponderEliminar