Água encontrada na atmosfera de planeta próximo (com video)

Água encontrada na atmosfera de planeta próximo
Vapor de água foi detectado na atmosfera de um dos primeiros planetas alienígenas identificados pelos astrónomos.

Avanços na técnica usada para escanear a atmosfera deste "Júpiter quente" podem ajudar os cientistas a determinar quantos, de entre os bilhões de planetas na Via Láctea, contêm água como a Terra, disseram os pesquisadores.

O exoplaneta Tau Boötis b foi descoberto em 1996, quando a busca por mundos fora do nosso sistema solar estava apenas começando. A cerca de 51 anos-luz de distância, Tau Boötis b é um dos mais próximos exoplanetas conhecidos.

O planeta é considerado um "Júpiter quente", porque é um gigante gasoso que orbita muito perto da sua estrela-mãe. Para analisar a atmosfera circundante de Tau Boötis b, os cientistas analisaram o seu brilho fraco.

Diferentes tipos de moléculas emitem diferentes comprimentos de onda de luz, resultando em assinaturas conhecidas como espectros que revelam a sua identidade química. Os cientistas usaram análises espectrográfica para encontrar assinaturas de água em outros planetas alienígenas antes, mas apenas quando esses mundos passavam em frente das suas estrelas-mãe.



Tau Boötis b não faz o trânsito na frente da sua estrela-mãe a partir do nosso ponto de vista na Terra, mas Lockwood e seus colegas foram capazes de trazer à tona a luz fraca emitida pelo planeta usando o Near Infrared Echelle Spectrograph (NIRSPEC) no Observatório Keck, no Havaí.

Os pesquisadores já haviam usado uma técnica semelhante para encontrar monóxido de carbono em torno de Tau Boötis b. Esse composto é pensado ser o segundo gás mais comum na atmosfera de Júpiter quente, depois do hidrogênio.

A nova análise mostrou que o brilho da atmosfera do planeta coincide com a assinatura molecular distinta da água, dizem os pesquisadores. 

A técnica espectrográfica está atualmente limitada a planetas que orbitam perto de grandes estrelas brilhantes, como hot Jupiters, mas poderia eventualmente ser usado para estudar super-Terras (planetas ligeiramente maiores do que a Terra) e mundos na "zona habitável" em torno de suas estrelas-mãe, onde a água líquida e, talvez, a vida como a conhecemos poderia existir.

Astrônomos encontraram a primeira evidência de um exoplaneta em 1992. Desde então, mais de 1.000 mundos foram descobertos fora do nosso sistema solar, e muitos mais aguardam confirmação.

As novas descobertas foram detalhadas na versão online de 24 de fevereiro do The Astrophysical Journal Letters. Os resultados também estão disponíveis gratuitamente no serviço de pré-impressão Arxiv que pode consultar aqui. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário