Choques no cérebro despertam temporariamente pessoas de estados vegetativos

Choques no cérebro despertam temporariamente pessoas de estados vegetativos
Depois de submetidos a estimulação transcraniana por corrente contínua, pacientes em estado vegetativo exibiram sinais de aumento de consciência e até mesmo ganharam capacidade de se comunicar.

O efeito não durou muito tempo, mas os insights recolhidos podem conduzir a intervenções mais eficazes.

Os pacientes que estão em coma não podem mover-se ou responder ao seu ambiente. Mas o chamado estado vegetativo é um pouco diferente, é um tipo de coma em que as pessoas não podem sair totalmente da inconsciência. [O que acontece ao cérebro em coma]

Eles muitas vezes dão a impressão de que eles estão a sair de um coma, mas ainda não têm consciência verdadeira ou completa. Dito isto, as varreduras do cérebro mostram que algumas dessas pessoas têm uma vida interior complexa e são capazes de responder ao seu ambiente.

Infelizmente, os médicos têm tido muito pouco sucesso ao tentar puxar as pessoas para fora de tais estados. Mas em alguns casos, pacientes que se pensava estarem num estado vegetativo irrecuperável foram acordados depois de lhes ser administrado o fármaco zolpidem.

Este medicamento parece ser revigorante para as células cerebrais que se pensava estarem já mortas. Mas agora parece que as correntes elétricas de baixo nível podem fazer algo similar, descobriram pesquisadores na Bélgica.

Graças a um experimento realizado na Universidade de Liège, na Bélgica, pode haver esperança em forma de choques elétricos leves - ou mais precisamente, estimulação transcraniana por corrente contínua, também conhecida como ETCC.

Trata-se uma forma de neuroestimulação que administra correntes de baixa tensão constantes diretamente no cérebro através de pequenos eletrodos. É normalmente usada para ajudar pacientes com lesões cerebrais, como derrames. Pode inclusive melhorar as habilidades matemáticas.

Para o experimento, os pesquisadores trabalharam com 55 pessoas que sofreram uma lesão cerebral traumática ou que tinham falta de oxigênio no cérebro. Todos estavam em um estado minimamente consciente ou vegetativo - alguns há alguns anos.

Durante as sessões de 20 minutos de ETCC - que foram destinados a áreas responsáveis ​​pela memória, tomada de decisão e consciência (ou seja, o córtex pré-frontal dorsolateral esquerdo) - 15 pacientes mostraram sinais de aumento da consciência, incluindo a capacidade de mover as mãos ou seguir as instruções com os olhos.

Surpreendentemente, dois pacientes foram capazes de responder a perguntas durante duas horas antes de voltarem ao seu estado vegetativo anterior. De fato, para todos os pacientes, os efeitos duraram apenas um par de horas. E para a maioria, os tratamentos produziram resultados apenas moderados.

"Eu não quero dar às pessoas uma falsa esperança - essas pessoas não estavam a levantar-se e a andando - mas mostra que há potencial para o cérebro recuperar a funcionalidade, até mesmo vários anos após o dano", disse Steven Laureys, pesquisador do artigo

Os pesquisadores não sabem exatamente por que funciona, mas acreditam que a estimulação aumenta a atividade cerebral previamente adormecida ao longo de um limiar, aumentando assim os processos envolvidos na atenção e memória de trabalho.

A equipe agora está tentando descobrir uma maneira de prolongar os efeitos encontrados para além do par de horas verificado. Os resultados do experimento irão ser publicados na revista científica Functional Neurology. [io9]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário