Grande parte da água da Terra é mais velha do que o Sol

Grande parte da água da Terra é mais velha do que o Sol
Grande parte da água na Terra e em outros lugares do sistema solar provavelmente é anterior ao nascimento do sol, relata um novo estudo.

A descoberta sugere que a água é comummente incorporada em planetas recém-formados através da galáxia, disseram pesquisadores.

Trata-se de uma boa notícia para qualquer pessoa que espere que a Terra não seja o único mundo a abrigar vida.

"As implicações do nosso estudo são de que a água interestelar gelada sobrevive notavelmente ao processo extremamente violento do nascimento estelar para então ser incorporada nos corpos planetários", disse Ilse Cleeves, principal autor do estudo da Universidade de Michigan.

Os astrónomos descobriram cerca de 2.000 exoplanetas até agora, e muitos bilhões espreitam sem ser detectados nas profundezas do espaço. Em média, cada estrela da Via Láctea deve acolher pelo menos um planeta.

Água, água por toda parte


O nosso sistema solar tem água em abundância. Oceanos ocupam não apenas a superfície da Terra, mas também estão sob as camadas geladas da lua Europa, de Júpiter e de Enceladus, o satélite natural de Saturno.

E o gelo de água pode ser facilmente encontrado na lua da Terra, em cometas, nos pólos de Marte e até mesmo dentro de crateras sombreadas de Mercúrio, o planeta mais próximo do sol. Cleeves e seus colegas queriam saber onde toda essa água veio.

"Se a água no início do sistema solar foi herdada do espaço interestelar, é provável que gelos semelhantes, juntamente com matéria orgânica prebiótica, sejam abundantes na maioria dos discos protoplanetários com estrelas em formação", afirma Conel Alexander, do Instituto Carnegie.

"Mas se a água do sistema solar primitivo era em grande parte o resultado de processamento químico local durante o nascimento do sol, então é possível que a abundância de água varie consideravelmente na formação de sistemas planetários", acrescentou Alexander.

A água pesada e 'normal'


Nem toda a água é H2O normal. Algumas moléculas de água contêm deutério, um isótopo pesado do hidrogénio que contém um protão e um neutrão no seu núcleo. Isótopos são versões diferentes de um elemento cujos átomos têm o mesmo número de protões, mas números diferentes de neutrões.

O isótopo de hidrogénio mais comum, conhecida como Protium, por exemplo, tem um protão, mas não tem nenhum neutrão. Uma vez que têm massas diferentes, o deutério e o protium comportam-se de maneira diferente durante as reações químicas.

Alguns ambientes são, portanto, mais propícios para a formação de água "pesada" - incluindo os lugares super-frios, como o espaço interestelar. Os pesquisadores construíram modelos que simularam reações dentro de um disco protoplanetário.

Tal facto traduz-se num esforço para determinar se os processos durante os primeiros dias do sistema solar poderiam ter gerado as concentrações de água pesada observadas hoje nos oceanos da Terra, material de cometas e amostras de meteoritos.

A resposta foi não. Os resultados sugerem que até 30 a 50% da água dos oceanos da Terra e talvez 60 a 100% da água em cometas, formou-se originalmente no espaço interestelar, antes do sol nascer. Tais descobertas foram publicadas a 25 de setembro na revista Science. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário