Resolvido mistério de supernova com 20 anos (com video)

Resolvido mistério de supernova com 20 anos (com video)

Um mistério de supernova que intrigou os astrónomos durante mais de duas décadas foi finalmente resolvido. Saiba como.


Pesquisadores usaram dados coletados pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA para determinar que a supernova SN 1993J - que foi observada pela primeira vez em 1993 - ocorreu porque uma estrela prendeu hidrogênio de outra.

 "Isso é como uma cena de crime, e nós finalmente identificamos o ladrão", disse Alex Filippenko, professor de astronomia da Universidade da Califórnia, e co-autor do estudo.

Saiba mais: Como as estrelas morrem: Revelada natureza das supernovas

"A estrela companheira roubou um monte de hidrogênio antes de a estrela principal explodir”, acrescentou. Um sinal de que algo estava estranho veio de olhar para a composição de SN 1993J, que é uma supernova do tipo IIb.

Esse é um tipo raro de explosão de estrela que tem muito menos hidrogênio do que as supernovas típicas. Os astrônomos começaram a procurar a estrela companheira logo após a descoberta de SN 1993J, que se encontrado na galáxia Messier 8, a cerca de 11 milhões de anos-luz da Terra.

No entanto, eles foram incapazes de encontrar a companheira porque a zona de supernova estava tão cheia que era difícil saber se estavam observando a estrela correta.

"Um sistema binário é provavelmente necessário para perder a maioria do hidrogênio da estrela principal antes da explosão", disse o principal autor Ori Fox, também da UC Berkeley.

"O problema é que, até à data, as observações diretas da estrela companheira binária têm sido difíceis de obter, uma vez que é tão fraca em relação à própria supernova", acrescentou o astrónomo.

Mas a descoberta chegou ao combinar imagens ópticas com dados ultravioletas do Hubble para encontrar o espectro de elementos esperados emanar da estrela companheira.

A equipe pretende analisar o sistema ainda mais aprofundadamente para encontrar mais propriedades da companheira e para melhor entender como as estrelas explodem, disseram os pesquisadores.

Apesar de as supernovas ocorrerem uma vez a cada segundo em todo o cosmos, a sua captura é um desafio para os astrônomos. Muitas delas parecem fracas porque eles estão longe do nosso planeta, ou podem ser obscurecidos por poeira cósmica.

Isso faz com que a previsão de explosões de estrelas seja ainda mais um enigma para os cientistas. A pesquisa foi publicada na edição de 20 de julho da revista científica Astrophysical Journal.[Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário