Conheça as 7 guerras e batalhas mais bizarras de sempre

Conheça as 7 guerras e batalhas mais bizarras de sempre

Desde as primeiras civilizações, os seres humanos sempre andaram em guerra por inúmeros motivos. Conheça algumas das mais bizarras da história.


Por mais que inúmeras guerras e confrontos tenham moldado o mundo como ele é hoje, existem muitas batalhas que foram desnecessárias e mortíferas, que poderiam ter sido evitadas, ocorrendo por motivos quase banais.


O site Spotniks reuniu algumas dessas batalhas em um artigo com algumas das guerras mais bizarras e sem sentido do mundo. Confira abaixo sete desses exemplos de guerras e batalhas bizarras.


1. Guerra do Lijar


Foi um conflito, que não teve mortes. Em 1883, o rei espanhol Alfonso XII visitou Paris e foi insultado e atacado pela população local. O pequeno desentendimento não abalou as relações entre Espanha e França, sendo que somente os moradores do vilarejo espanhol de Lijar se revoltaram e decidiram declarar guerra ao país vizinho.

Inclusive, com o apoio de 300 moradores, o prefeito da época assinou um documento oficial para declarar o seu rancor e hostilidade aos franceses. Durante 93 anos, não houve qualquer conflito e ninguém foi morto. Apenas em 1981 um diplomata francês foi enviado a Lijar para resolver a questão e acabar com o mal entendido.

2. Guerra do Barril


Quantas vidas humanas vale um barril? Pelo jeito, aproximadamente 2 mil. Esse confronto teve início em 1325 quando os soldados de Modena, na atual Itália, invadiram Bologna e roubaram um barril de carvalho.

Devido ao roubo, Bologna declarou guerra e enviou um exército para recuperar o barril. Depois de 2 mil pessoas serem mortas, os Modeneses venceram o conflito e permaneceram com o estimado objeto, que até hoje está exposto na Torre do Sino.

3. Guerra do Cão Perdido


Em 1925, um soldado grego passou a fronteira entre a Bulgária e a Grécia para procurar o seu cão perdido. Os solados búlgaros que viram o rapaz cruzar a fronteira não hesitaram e mataram o homem, que só desejava recuperar seu cachorro.

Como os dois países não tinham boas relações, o conflito foi declarado. A Grécia pediu pela punição dos responsáveis, e o exército inclusive invadiu a cidade de Petrich, local onde ocorreu o incidente. A Bulgária pediu intervenção da Liga das Nações, que ficou do lado dos búlgaros.

Foram mortos entre 50 e 120 soldados, grande parte sendo composta por cidadãos búlgaros, e o confronto terminou após fortes pressões internacionais, que condenaram os gregos em mais de R$ 170 mil em indenização aos seus oponentes.

4. Guerra de 1812


No passado, o tempo que as nações levavam para se comunicar influenciava muito o desenrolar dos confrontos, já que não existiam meios instantâneos de as pessoas trocarem informações. Em 1808, um confronto entre britânicos e americanos poderia ter sido evitado se o telefone, por exemplo, existisse.

O então presidente dos Estados Unidos, James Madison, removeu o chamado Ato do Embargo, que permitiu que outros países fizessem comércio na costa americana. Entretanto, os britânicos não aceitaram isso de modo positivo, e persistiram com ataques às embarcações norte-americanas.

Apesar disso, em 1812, o Reino Unido revogou as leis de ataque às embarcações, porém os Estados Unidos não ficaram cientes da informação e, dois dias depois de os britânicos seguirem rumo à paz, os americanos declararam guerra ao país. O conflito durou aproximadamente dois anos e oito meses e teve mais de 3,8 mil soldados baleados, além de inúmeros prejuízos para ambos.

5. Guerra dos 335 anos


Esse "confronto" é um dos mais longos do mundo, porém não pode ser efetivamente considerado um confronto, já que não houve mortes, apenas tensões políticas. Os holandeses e os britânicos entraram em conflito pelo domínio das Ilhas Scilly, localizadas no sul do Reino Unido.

Navios holandeses foram às ilhas e pediram indenizações pelas baixas sofridas na Guerra dos Oitenta Anos, porém nenhum acordo foi feito. Assim, as embarcações voltaram aos Países Baixos. Como não existiram ações ofensivas, o conflito logo foi esquecido, dado como oficialmente encerrado em 1986 com um tratado de paz.

6. Guerra do Futebol


O futebol é capaz de deixar as pessoas alteradas e em 1969, as relações entre Honduras e El Salvador não andavam em perfeito acordo, tendo sido agravadas pela rivalidade das nações no campo de futebol.

Jogadores de Honduras foram maltratados nos hotéis de El Salvador e vice-versa. Quando os dois times se enfrentaram na Cidade do México na Copa do Mundo de 1970, o governo de El Salvador cortou todas as relações com o povo de Honduras.

Dezoito dias depois, os hondurenhos bombardearam El Salvador, confronto que deixou entre 6 e 8 mil mortos e levou 4 dias para ser encerrado após intervenção da Organização dos Estados Americanos. Quanto ao futebol, foi El Salvador que venceu a partida.

7. Guerra dos Emus


Talvez esse seja o mais bizarro dos casos listados, já que envolve seres humanos e pássaros raivosos. Em 1932, milhares de emus (um pouco menores do que avestruzes) invadiram fazendas do interior da Austrália atrás de alimentos e de água.

Como o volume de aves foi enorme, os fazendeiros resolveram atirar nesses animais para afastá-los de suas propriedades. Estima-se que aproximadamente 10 mil balas foram utilizadas, porém elas não conseguiram conter o avanço desses animais (os emus não voam, porém são extremamente rápidos).

No total, acredita-se que 20 mil emus invadiram as plantações, sendo que só 2 mil foram abatidos. Depois de dias de lutas, os australianos simplesmente desistiram dos combates e as aves permaneceram nas fazendas. [Megacurioso]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário