O Sol não é o maior objeto do nosso sistema solar, saiba qual é

O Sol não é o maior objeto do nosso sistema solar, saiba qual é

O Sol é uma estrela, por isso, é muito maior que qualquer planeta no sistema solar. Mas não é o maior objeto do nosso sistema solar. Saiba aqui qual é.


A atmosfera exterior desta grande bola de gás e plasma afasta-se como uma bolha magnética gigante arrastada pelo vento solar e pelo campo magnético do Sol.

Essa é a heliosfera, e é a maior estrutura contínua no sistema solar. Peritos espaciais gostam de nos mostrar imagens que comparam os tamanhos do nosso Sol e dos seus planetas. Não há competição.

Saiba mais: Quão quente é o Sol?

Júpiter é grande o suficiente para comportar 1.000 Terras. No entanto, 1000 Júpiteres cabem dentro do Sol. É realmente como comparar maçãs com laranjas. A Terra e Júpiter são planetas.

Isso significa que eles não têm explosões nucleares a acontecer dentro deles. O Sol é uma estrela e tem alguma azia grave. Esta bola de gás e plasma é grande o suficiente para ter o tipo de pressão interna que obriga o hidrogênio a transformar-se em hélio através da fusão nuclear.

A nossa estrela local é tão grande que os astrônomos brincando referem-se ao sistema solar como o Sol, Júpiter e o resto do entulho variado. No entanto, o Sol não é a maior estrutura contínua do sistema.

Obviamente, nada orbitando o Sol é. Não, não há aqui algo mais. É feito pelo Sol, mas é quase invisível aos nossos olhos. Esta estrutura recebe o seu início lá no fundo do Sol, onde milhões de toneladas de hidrogênio se fundem em hélio a cada segundo.

O calor resultante deste e de outros tipos de energia, em seguida, move-se em direção à superfície, trazendo junto consigo um monte de partículas carregadas. Um inferno nuclear como este também produz um bizarro campo magnético solar.

Eventualmente tudo atinge a superfície do Sol, onde as coisas ficam muito violentas. Não há nada aqui para parar de luz solar, as partículas carregadas, e o campo magnético são lançados para o espaço.

Buracos nas camadas superiores da atmosfera do Sol vazam um vento contínuo de partículas carregadas. As proeminências solares arqueadas lançam fora bocas de gás aquecido.

O Sol, por vezes, tem episódios violentos onde rajadas de campos magnéticos e até 1 bilhão de toneladas de matéria carregada são lançados para fora da superfície a milhões de quilômetros por hora. As manchas solares cospem as explosões mais poderosas de energia do sistema magnético solar.

Os cientistas chamam a esse campo a heliosfera. O campo magnético da Terra e a sua atmosfera densa protegem-nos dos seus piores efeitos. Esta corrente de partículas carregadas e campos magnéticos flui principalmente em nossa volta e mantém-se em curso por Júpiter e passando até muito além de Plutão.

A heliosfera começa a perder energia depois que sai do Sol, por isso tem que parar em algum lugar. Ninguém sabe ao certo o quão longe esta bolha magnética solar pode chegar antes que seja demasiado fraca para empurrar para trás o vento interestelar.

Mas, uma coisa nós sabemos: A heliosfera envolve todo o sistema solar, incluindo o Sol. É definitivamente a maior estrutura contínua que existe no nosso Sistema Solar. [KnowledgeNuts]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário