Astrônomos descobriram 8 novos planetas que poderão suportar vida

Astrônomos descobriram 8 novos planetas que poderão suportar vida

Astrónomos descobriram 8 novos planetas que poderão suportar vida como a conhecemos, incluindo dois mundos parecidos com a Terra.


Os 8 planetas recém descobertos parecem orbitar na zona habitável da sua estrela a distâncias que podem permitir a existência de água líquida na superfície e todas elas são relativamente pequenos.

"A maioria desses planetas têm uma boa chance de ser rochoso, como a Terra", disse Guillermo Torres, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica.

Os mundos recém-descobertos foram todos detectados pelo prolífico telescópio espacial Kepler, da NASA, tendo sido confirmados usando observações de outros telescópios e um programa de computador que avaliou a probabilidade estatística de serem realmente planetas.

Embora nenhum dos oito seja uma verdadeira Terra alienígena, dois deles - conhecido como Kepler-438B e Kepler-442b - destacam-se pelas suas semelhanças ao nosso planeta (embora ambos os mundos orbitem anãs vermelhas, estrelas que são menores e menos brilhantes que o Sol).

Kepler-438B fica a 470 anos-luz do nosso sistema solar e é apenas 12 por cento maior que a Terra, tendo uma chance de 70 por cento de ser rochoso. O planeta completa uma órbita a cada 35 dias, e recebe cerca de 40 por cento mais energia da sua estrela do que a Terra recebe do sol.

Kepler-442b é cerca de um terço maior que a Terra e tem uma chance 60 por cento de ser rochoso. O período orbital do exoplaneta é de 112 dias, e recebe cerca de dois terços da energia da Terra, ficando a cerca de 1.100 anos-luz da Terra.

Por mais intrigantes que esses dois mundos sejam, não há garantia de que qualquer um deles possa realmente abrigar vida, salientam os cientistas. De facto, atualmente ainda não há informações suficientes para se concluir esse facto.

Para começar, há a incerteza sobre a composição dos planetas, como evidenciado pelas probabilidades estimadas acima de existência de rochas. Ninguém sabe ao certo onde a linha divisória fica entre mundos rochosos ou gasosos, em termos de tamanho do planeta.

Além disso, a temperatura da superfície do planeta é altamente dependente da composição e espessura da sua atmosfera, e nada se sabe sobre o ar circundante de Kepler-438B, Kepler-442b ou qualquer dos outros mundos recém descobertos.

No mesmo sentido, os cientistas identificaram 554 novos candidatos a planetas na base de dados da missão Kepler, elevando o número total de candidatos Kepler para 4175. Assim, mais de 1.000 planetas foram identificados como mundos possíveis pelo Kepler até à data. [Space]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Fico feliz em ver matérias assim, quero ver se a minha desentupidora agora vai. www.desentupidorasp.net

    ResponderEliminar
  2. Fico feliz em ver matérias assim, quero ver se a minha desentupidora agora vai. www.desentupidorasp.net

    ResponderEliminar