Sintomas obsessivos das novas mães são comuns, sugere estudo


http://www.ciencia-online.net/2013/03/sintomas-obsessivos-das-novas-maes-sao.html
As novas mães que repetidamente verificam a respiração dos bebés, ou se preocupam com germes, podem ficar tranquilas em saber que esses pensamentos e comportamentos são comuns, sugere um novo estudo.

Os resultados mostram que cerca de 11% das mães experimentam sintomas temporários do transtorno obsessivo compulsivo (TOC), durante os meses após o parto. Isso é muito maior do que os 2 a 3% de pessoas da população geral que experimentam sintomas do TOC, dizem os pesquisadores.

Os sintomas do TOC incluem pensamentos repetidos e indesejados (obsessões), bem como os comportamentos ritualísticos que tentam afastar esses pensamentos (compulsões). Por exemplo, uma mãe pode repetidamente preocupar-se com germes e esterilizar as garrafas do seu bebé. Ou ela pode preocupar-se se o bebé estará seguro no berço e verificar repetidamente se o mesmo está corretamente travado.

A medida em que estes pensamentos e comportamentos são "normais", ou "cruzam a linha", não é totalmente clara ainda, disse a pesquisador Dana Gossett, professora-chefe e assistente de obstetrícia e ginecologia na Universidade Northwestern, em Chicago. É adequado para uma mãe que se preocupe com a segurança e a saúde do seu bebé, disse Gossett.

No entanto, se esses pensamentos e comportamentos provem ser angustiantes para a mãe, e interferirem com a sua habilidade de cuidar de si mesma e do seu bebé, esses sintomas tornam-se uma preocupação, disse Gossett. Por exemplo, se uma mãe se preocupa tanto com o seu bebé durante a noite que não dorme, ou se verifica o assento da criança no carro tantas vezes que não consegue sair de casa, os sintomas cruzam a linha da patologia", disse Gossett.

Estudos anteriores sugeriram que as mulheres experimentam sintomas do TOC durante o período pós-parto. No entanto, a maioria desses estudos pediu às mulheres para se lembrarem acerca dos seus pensamentos e comportamentos durante os meses depois de terem dado à luz. O novo estudo acompanhou as mulheres ao longo tempo, a partir do momento em que deram à luz no hospital até os bebés terem seis meses de idade.

Duas semanas após o parto, 51 das 461 mulheres no estudo relataram ter sintomas do TOC. Depois de seis meses (já com menos mulheres), 35 das 329 mulheres relataram sintomas. Cerca de metade das mulheres que relataram sintomas nas duas semanas, melhoraram aos seis meses. Mas algumas mulheres tinham apenas começado a sentir os sintomas do TOC aos seis meses, disse Gossett.

O stress é conhecido por desencadear o TOC, por isso é possível que o stress da gravidez e de cuidar de um bebé possa predispor as mulheres à condição, disseram os pesquisadores. Os níveis hormonais antes e após a gravidez, e as mudanças no cérebro após o parto, bem como a atividade também podem contribuir para os sintomas.

Os pesquisadores observaram que as mulheres no estudo não foram entrevistados por um psiquiatra profissional que pode avaliar os seus sintomas. É possível que algumas mulheres tenham experimentado TOC antes do parto, mas não sabiam que tinham a doença, disseram os pesquisadores. 

O estudo envolveu principalmente mulheres que tinham um grau académico e ganhavam mais de US $ 100.000 por ano, por isso os resultados podem não se aplicar às mulheres de outros grupos socioeconómicos, disseram os pesquisadores. O estudo foi publicado na edição de março/abril do The Journal of Reproductive Medicine.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Publicar um comentário