Artrite Reumatóide: sintomas e tratamento

http://www.ciencia-online.net/2013/06/artrite-reumatoide-sintomas-e-tratamento.html


Quando o sistema imunitário fica confuso e ataca as próprias articulações, o resultado é a artrite reumatóide (AR). A condição crónica e debilitante, que não tem cura, é duas a três vezes mais comum em mulheres do que homens.

De acordo com a Arthritis Foundation, milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com artrite reumatóide, que pode causar-lhes dor e deformidade da articulação, ao desgastá-las. Geralmente afecta as articulações igualmente em ambos os lados do corpo e começa nas pequenas articulações das mãos, punhos, tornozelos e pés.

Os cientistas não têm certeza do que causa a artrite reumatóide, apesar de alguns fatores de risco conhecidos incluírem o género, a idade e fatores genéticos. Os sintomas desta doença podem ser muito vagos no início, já que se assemelham aos de muitas outras doenças. Eles também variam de paciente para paciente e podem aparecer e desaparecer.

Os sintomas mais comuns incluem dor e inchaço nas articulações, glândulas inchadas, cansaço ou fraqueza, mãos vermelhas e inchadas, rigidez matinal, febre, perda de apetite ou perda de peso e bolbos firmes sob a pele nos braços.

Nenhum teste confirma a artrite reumatóide, sendo que os médicos geralmente contam com uma variedade de testes para fazer um diagnóstico. Estes testes medem a quantidade de inflamação presente na estrutura articular do corpo.

De acordo com a Arthritis Foundation, os testes incluem: taxa de sedimentação de eritrócitos (que mede quão rápido os glóbulos vermelhos no sangue caem para o fundo de um tubo de ensaio, sendo que quanto mais rápido isso acontecer, mais a inflamação está presente), a Proteína C Reativa (PCR; medida através de um exame de sangue e é maior quando a inflamação está presente).

De igual forma existe também a testagem do Fator reumatóide (FR; onde cerca de 70 a 80% daqueles cujo sangue contém FR também têm artrite reumatóide) os raios-x (mostra a perda de densidade óssea em torno de articulações ou tecido inchado e macio) e imagem por Ressonância Magnética (MRI; que pode detectar inflamação precoces não visível pelo raio-X).

Uma vez que a artrite reumatóide não tem cura, os tratamentos são geralmente ao longo da vida concentram-se no alívio dos sintomas, bem como na prevenção e retardamento das lesões articulares. Muitos fármacos estão disponíveis para tratar a AR, embora alguns tenham efeitos colaterais potencialmente graves, que devem ser cuidadosamente monitorizados. Normalmente, eles são tomados em combinação.

Alguns destes medicamentos são os anti-inflamatórios não esteróides, como o ibuprofeno, para reduzir a dor e a inflamação, os corticosteróides que ajudam a controlar lesões articulares, inibindo o sistema imunológico, anti-reumáticos para evitar danos permanentes nas articulações e tecidos. De igual forma, podem também ser usados os imunossupressores, para suprimir o sistema imunitário. 

Outra grande tratamento da AR é a cirurgia, que é uma opção quando os fármacos não podem prevenir ou retardar os danos articulares. De acordo com o National Institutes of Health (NIH), dos EUA, os procedimentos incluem a terapia de substituição total de articulações, que substitui as articulações; reparo do tendão; sinovectomia, que remove o forro comum e a fusão conjunta dos ossos, podendo estabilizar articulações e aliviar a dor.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário