Alergia a medicamentos: Causas, sintomas e diagnóstico

Alergia a medicamentos: Causas, sintomas e diagnóstico

As alergias medicamentosas são reações perigosas a medicamentos que as pessoas tomam. Estas reacções alérgicas podem levar a problemas relativamente suaves, como erupções não-ameaçadoras, ou a reações mais perigosos, como anafilaxia e dano tecidual.



Se você tem uma alergia a medicamentos, é importante permitir que os seus cuidadores de saúde saibam, para permitir ajudá-los a prescrever os tratamentos medicamentosos corretos no futuro.

Causas


Cerca de 20 por cento da população relata alergias a um ou mais medicamentos. De longe, a mais comum alergia está associada ao antibiótico penicilina; cerca de 1 em cada 10 pessoas relata ter a alergia.

No entanto, destes, mais de 95 por cento são capazes de tolerar a penicilina e os medicamentos relacionados, com base na avaliação e testes de alergia. Muitas pessoas também são alérgicas aos fármacos não esteróides anti-inflamatórias (NSAIDs), uma classe de medicamentos que inclui o ibuprofeno e o naproxeno.

Tipos de reacções


As reacções podem ser separadas em quatro tipos. O primeiro tipo, chamado Tipo I, é causado por moléculas do sistema imunológico, chamadas imunoglobulina E (Ig E). O tipo I é classicamente o que os alergologistas pensam como alergia. Ig-E é um anticorpo, ou uma molécula produzida pelo organismo cujo trabalho é para identificar partes específicas de substâncias nocivas ou germes, chamado antigénio.

Mas substâncias que causam alergias, chamadas de alérgenos, ocasionalmente podem cooptar este processo celular. No caso de alergias a medicamentos, uma molécula do medicamento pode ser confundida com o antigénio. Quando se liga a moléculas de Ig-E que já estão ligadas a um outro tipo de célula chamadas mastócitos, atravessam os braços das moléculas de Ig-E.

Uma vez que estas moléculas de Ig-E são de ligação cruzada, os mastócitos libertam substâncias inflamatórias, tais como a histamina, podendo causar respostas relativamente suaves, tais como corrimento nasal, ou podem até provocar anafilaxia, uma reacção de corpo inteiro que coloca em risco a vida, apresentando sintomas tais como erupção cutânea, náusea, vómitos, perda perigosa da pressão sanguínea, inchaço da face, língua e lábios e fechamento da garganta. Tipicamente, as respostas de tipo Ig E ocorrem minutos após a exposição a um alergeno.

O segundo tipo de alergia a medicamentos, chamada alergia citotóxica, ocorre quando um medicamento, como a penicilina, se liga a uma célula e cria um caso de identidade equivocada. Um anticorpo chamado imunoglobulina-G reconhece o componente do medicamento externo sobre a célula e liga-se a ele, o qual, em seguida, engana o sistema imunitário da pessoa fazendo-o pensar que a célula é uma entidade externa.

O sistema imunológico, então, envia assassinos celulares chamados células citotóxico CD8 + T que atacam o corpo. Uma forma comum de alergia Tipo II a medicamentos é a anemia hemolítica, onde o corpo destrói as suas próprias células vermelhas do sangue. As reações de tipo III a medicamentos ocorrem quando o corpo produz muito anticorpos IG-G e M-imunoglobulina, que, em seguida, se ligam a antigénios e aglomerados que revestem as paredes dos vasos sanguíneos.

Quando muitos destes complexos imunes se formar, pode ser difícil para as células de limpeza chamadas fagócitos as devorarem, e o acúmulo pode provocar inflamação. Um exemplo comum é a doença do soro, que pode ocorrer como resultado de antibióticos ou vacinas, Blumenthal disse. O quarto tipo de alergia tem, tipicamente, um início retardado, pelo menos, 2-3 dias após a exposição.

As reações do tipo IV são criados por células T, um tipo de glóbulo branco produzido na glândula timo. A reação a medicamentos mais comum nesta categoria é a erupção maculopapular, um conjunto de pequenas saliências vermelhas ou "pápulas na pele". Existem ainda algumas reacções onde os médicos não entendem o mecanismo exato por trás delas, podendo ser listadas dentro destes quatro subtipos.

Sintomas


Os sintomas de alergias a medicamentos podem variar de leves a graves. Algumas pessoas podem simplesmente experimentar coceira, enquanto outras podem desenvolver anafilaxia. Para deter a reacção perigosa, as pessoas usam um auto-injector de epinefrina. Mesmo depois de receber uma dose de epinefrina, os pacientes devem ainda visitar a sala de emergência para assegurar que a reacção esteja completamente curada.

Outros sintomas incluem respiração ofegante, coceira, espirros, vômitos e sensação de tontura. Urticária, ou um conjunto de saliências vermelhas ou avermelhadas em todo o corpo também podem ocorrer em alergias a medicamentos ou alergias alimentares, assim como em infecções. A urticária forma-se como resultado de uma resposta Ig-E no organismo.

Os exantemas maculopapulares, por vezes, surgem vários dias após a medicação. As erupções maculopapulares normalmente desaparecem por si sós. No entanto, também pode ser um sinal de uma grave reação alérgica de início retardado com eosinofilia e sintomas sistémicos. Esta síndrome, que tem uma taxa de mortalidade de 10 por cento, pode causar uma erupção cutânea, febre, e danos ao tecido interno.

Diagnóstico


Quando uma reacção alérgica suspeita ocorre, os médicos geralmente conduzem uma história clínica detalhada, perguntando ao paciente que medicamentos tomou, ou que alimentos tenham comido, de forma a tentar situar o culpado de forma concreta. As pessoas estão mais propensas a ter uma reação alérgica a um medicamento depois de algumas exposições, ou após um aumento da dose do medicamento.

Por vezes, a história médica apenas pode não ser suficiente para revelar a fonte da alergia. Se alguém entra em anafilaxia ao mesmo tempo que começa a tomar um novo medicamento e que também comeu alguma coisa que possa ter provocado a alergia, como nozes ou crustáceos, os médicos podem precisar de fazer testes. [Livescience]
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários: