Muitas mortes por cancro são atribuída ao álcool


http://www.ciencia-online.net/2013/02/muitas-mortes-por-cancro-sao-atribuida.html
O uso de álcool representou cerca de 3,5% de todas as mortes por cancro nos Estados Unidos em 2009, segundo um novo estudo. Isso equivale a cerca de 20.000 norte-americanos que perderam as suas vidas para o cancro naquele ano, como resultado da bebida.

Os pesquisadores também descobriram que o álcool é um dos principais colaboradores para a morte prematura por qualquer causa, e estima-se que cada morte por cancro relacionada com o álcool resulta na potencial perda de 18 anos de vida. Por outras palavras, uma mulher que morre de de cancro da mama aos 60 anos provavelmente teria vivido até aos 78 se cortasse o álcool da sua vida.

"O álcool é um agente causador de cancro conhecido em humanos, mas tem sido severamente negligenciado como uma causa evitável de mortes por cancro", disse o co-autor Timothy Naimi, médico e pesquisador no Boston University Medical Center. "As pessoas precisam de saber o impacto do álcool nas mortes por cancro, porque isso é uma outra razão pela qual eles não devem beber excessivamente".

A nível mundial, 4% de todas as mortes por cancro são devidas ao uso de álcool, relata o estudo que apareceu online a 14 de fevereiro no American Journal of Public Health. Para o estudo, os cientistas examinaram sete tipos diferentes de cancro em que o álcool é um conhecido fator de risco: cancro da cavidade oral, faringe, laringe, esófago, fígado, cólon, reto e mama.

Mas calcular o número e a percentagem de mortes por cancro devido ao uso de álcool é complicado. Para isso, os pesquisadores reviram dados de mortalidade dos EUA a partir de 2009 para todos esses sete tipos de cancro. Eles também analisaram os estudos de cancro anteriores que estimaram o número de mortes que poderiam ser atribuídos ao álcool. 

Além disso, eles examinaram os números de venda de álcool a partir de 2009 e duas grandes pesquisas americanas relativas aos níveis de consumo de álcool em adultos. Os seus resultados sugerem que o consumo de álcool levou a um número estimado de 18.200 a 21.300 mortes por cancro em 2009, ou 3,2% a 3,7% de todas as mortes por cancro nos EUA.

Entre os homens, os cancros das vias aéreas superiores (ou seja, da cavidade oral e faringe ou laringe) e do esófago, foram os mais fatais associados ao álcool. Eles mataram cerca de 6.000 homens. Entre as mulheres, o cancro da mama foi a principal causa de morte por cancro. Cerca de 15% das mortes por cancro da mama em 2009 estavam ligados ao álcool.

Embora não seja exatamente claro por que o álcool aumenta o risco de cancro, uma teoria defende que ele causa danos materiais ao ADN nas células. De acordo com Naimi, há uma forte relação entre o cancro e o álcool, mas reduzir o seu consumo nem sempre é enfatizado como uma estratégia de prevenção do cancro.

Apesar de algumas evidências dos efeitos protetores que o álcool tem sobre o coração quando consumido moderadamente, "no geral, o álcool mata muitas vezes mais pessoas do que salva", disse Naimi. Mas todos nós gostamos da ideia de que algo prazeroso, seja chocolate, álcool ou café, é bom para nós, sugeriu.

Quando se trata de álcool e de cancro, não há nenhuma quantidade segura ou benéfica, explicou Naimi. Para aqueles que, ocasionalmente, gostariam de levantar um copo, beber menos é melhor do que beber mais, disse ele.
PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário