Dispositivos eletrónicos provocam mal-estar em crianças

Dispositivos eletrónicos provocam mal-estar em crianças

A quantidade de tempo que as crianças passam a ver TV ou a jogar jogos eletrónicos pode afetar o seu bem-estar na primeira infância.


Fatores de saúde mental, como o risco de problemas emocionais, também são afetados, sugere um novo estudo europeu. [Crianças inquietas são expostas a mais TV]

Para as meninas no estudo, cada hora adicional gasta com jogos eletrônicos ou a usar um computador nos dias da semana aos 4 anos de idade foi associado a um aumento de duas vezes o risco de problemas emocionais aos 6 anos.

E para os meninos e meninas, cada hora adicional a assistir TV por semana aparece associada a um aumento no risco de mau funcionamento familiar (como a criança a não se dar bem com os pais). [Os efeitos da TV no sono das crianças]

No entanto, o estudo não observou se os pais assistiam TV com os seus filhos, e não considerou o conteúdo da TV e dos jogos eletrônicos com que as crianças brincavam. Tais fatores podem afetar os resultados.

Especialistas dizem que o monitoramento dos pais do uso da mídia pelas crianças pode ajudar a atenuar alguns dos efeitos adversos observados neste e noutros estudos, afirma Daniel Coury, especialista em comportamento no Hospital Nationwide Children, que não esteve envolvido no estudo.

"Os pais devem estar envolvidos no monitoramento da mídia que os seus filhos assistem", disse Coury. Por exemplo, se as crianças estão autorizados a assistir televisão, os pais devem tentar ver com eles, para que possam colocar os shows no contexto e verificar se o conteúdo é adequado para a idade da criança.

Além disso, a Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças limitem o tempo de tela (as horas gastas na frente de uma TV, computador ou outro ecrã para fins recreativos) a não mais do que duas horas por dia. E a TV não é recomendada para crianças com menos de 2 anos.

Certificar-se de que as crianças aderem a esses limites, quando viável, pode ter benefício concretos para as crianças, disse Coury. Um segundo estudo publicado na mesma revista sugere que o monitoramento do uso de mídia do filho por parte dos pais pode ajudar a reduzir o risco de obesidade associada a atividades como assistir TV.

Crianças e tempo de tela


Pesquisas anteriores sobre a relação entre o uso de meios eletrônicos e o bem-estar das crianças tem sido mista, e a maioria dos estudos têm considerado apenas o assistir TV (ignorando o uso de outras formas de mídia).

O novo estudo analisou informações de mais de 3.600 crianças europeias com idades entre os 2 e os 6 anos, que o estudo seguiu durante dois anos. Os pais responderam a perguntas sobre o bem-estar dos seus filhos, incluindo auto-estima, redes sociais, problemas emocionais e problemas de pares.

A ligação encontrada entre o uso de meios eletrônicos e alguns aspectos do bem-estar (como problemas emocionais nas meninas), manteve-se mesmo depois dos pesquisadores levarem em conta o nível socioeconómico da família e o bem-estar da criança no início do estudo.

No entanto, alguns pesquisadores apontam criticas ao projeto do estudo. Alexis Lauricella, pesquisador do Centro de Mídia e Desenvolvimento Humano da Universidade de Northwestern, EUA, observou que os questionários utilizados no estudo foram desenhados para crianças mais velhas, por isso não é claro se será adequado usá-los com as crianças do estudo.

Estabelecer limites


O segundo estudo, realizado nos Estados Unidos, descobriu que menos monitoramento do uso de mídia de uma criança (especificamente, menos vigilância por parte da mãe) está associado a um maior índice de massa corporal (IMC) na criança com 7 anos.

As descobertas permaneceram verdadeiras mesmo depois de os pesquisadores levarem em conta outros fatores que podem afetar o risco de obesidade, como nível de IMC do pai. Ambos os estudos foram publicados a 17 de março na revista JAMA Pediatrics. [Livescience]

Recomendado pelo editor:

PARTILHE
loading...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário